As obras que tiveram propina de 5% a Cabral e seus aliados, segundo a Operação Calicute

As obras que tiveram propina de 5% a Cabral e seus aliados, segundo a Operação Calicute

Mateus Coutinho, Julia Affonso, Ricardo Brandt e Fausto Macedo

17 de novembro de 2016 | 11h02

reproducao

O então governador do Rio Sérgio Cabral com o empresário Fernando Cavendish e secretários do Rio em Paris. Foto: Reprodução

Sérgio Cabral Filho, do PMDB, governou o Estado do Rio de Janeiro de 2007 a 2014, período em que o Brasil sediou a Copa do Mundo de futebol, cuja final ocorreu no Maracanã, e no qual a capital fluminense foi escolhida para sediar, pela primeira vez na história, os Jogos Olímpicos.

Com os avanços da Lava Jato na primeira instância, que mobilizou procuradores da República e juízes no Paraná e no Rio de Janeiro, porém, mostraram que, em seus sete anos à frente de um dos Estados mais ricos do País, Cabral teria chefiado um esquema de corrupção envolvendo o pagamento de propina “em quase todas as obras do governo” estadual, segundo o juiz Marcelo Costa Bretas, da 7ª Vara Federal no Rio, e da Petrobrás no Estado, que teriam rendido ao menos R$ 224 milhões em propinas ao peemedebista e seus comparsas.

Confira abaixo algumas das obras do governo do Rio que as investigações identificaram pagamento de propinas. Todas as obras abaixo, segundo as investigações, custaram cerca de R$ 1 bilhão:

REFORMA DO MARACANÃ:

MARACA2

DELAÇÃO:

delatormaraca

delatormaraca2

PAC DAS FAVELAS:

FAVELA10 - RJ - 07/12/2012 - FAVELAS/LIVRO - ESPECIAL DOMINICAL CIDADES OE - De espaço de pobreza extrema e marginalidade ao centro de uma economia dinâmica, que movimenta R$ 13 bilhões por ano. Em 50 anos, as favelas cariocas passaram por grandes transformações em seus aspectos urbanos, econômicos e sociais, mas ainda não conseguiu se desvincular do estigma de ilegalidade e exclusão que acompanha seus moradores. A conclusão é do mais recente estudo sobre o tema, ?Favelas Cariocas ontem e hoje? da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ufrj), que analisa a evolução dessas comunidades desde 1960 ? quando o primeiro estudo, ?Aspectos Humanos da Favela?, na área foi publicado pelo Estado. Na foto, a favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio. Foto: MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

Na foto, a favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio. Foto: MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

DELAÇÃO:

 

delatorpacfavela

ARCO METROPOLITANO:

arcometropolitano

Obras do Arco Metropolitano. Foto: Divulgação

DELAÇÃO:
delatorarco

delatorarco2

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.