As lições que todo advogado deveria aprender com ‘O Demolidor’

As lições que todo advogado deveria aprender com ‘O Demolidor’

Bruno Pedro Bom*

20 de maio de 2021 | 14h00

Bruno Pedro Bom. FOTO: DIVULGAÇÃO

Matthew “Matt” Murdock é o protagonista da trama que após ficar cego em um acidente quando criança e por meio de intenso treinamento, desenvolve habilidades sensoriais aguçadas e as utilize no combate contra o crime da cidade de Nova Iorque, adotando o pseudônimo “Demolidor”. Matt em uma “jornada dupla”, além de herói é também advogado, utilizando em determinadas situações seu potencial sensorial e mental para solucionar problemas em sua profissão como operador do Direito.

Algumas reflexões que podemos refletir e aplicar em nossa rotina como advogados por meio do herói advogado:

  1. Não se engane com as aparências

Quem poderia imaginar que um homem cego seria capaz de se tornar um herói combativo e com capacidades sobre-humanas? A questão aqui é absolutamente em nenhuma situação “julgue” os adversários ou concorrentes por uma aparente fragilidade, seja em virtude da sua imagem pessoal ou por uma ação supostamente simples e facilmente exitosa. A atenção do advogado muitas vezes deve ser orientada aos autores e não somente a peça de forma isolada.

  1. Precisamos de aliados

Em muitas situações nos quadrinhos, Matt é gravemente ferido e é ajudado em sua recuperação pelos amigos, tem apoio em uma situação de combate aparentemente impossível (Elektra ou Punisher) e é capaz de vencer determinada situação ou ainda, auxílio do seu sócio no escritório, Franklin “Foggy” Nelson, para resolver casos em sua profissão jurídica.

Uma das cenas mais marcantes das HQ’s é quando Matt admite não conseguir realizar seus planos sozinho, sendo consolado por sua amiga e cúmplice Karen.

O objetivo central é que na advocacia, ter aliados sejam eles outros advogados ou um rol de amigos confiável, pode ajudar na celeridade e sucesso na profissão. Segundo Simon Sinek: “Você não consegue crescer sozinho, então não finja conseguir”.

  1. A dualidade entre o bem e o mal

Matt como Demolidor se questiona em inúmeras situações suas ações: segue os preceitos católicos e tenta ser guiado pelos princípios virtuosos na sua tomada de decisão, mas ao mesmo tempo, em determinados momentos precisa ser agressivo e transgredir certos conceitos morais que lhe direcionam.

Os advogados em certos momentos, quando defendem um determinado cliente sofrem justamente uma dualidade moral. Nas lições extraídas no demolidor não defendo uma visão maquiavélica que deve ser adotada pelo advogado, mas resgato o juramento da classe em exercer a justiça com base nos princípios do contraditório e da ampla defesa. Todos são dotados de direitos para uma sentença imparcial e munida de ferramentas jurídicas técnicas para o encontro da justiça nas decisões judiciais.

  1. Visão descentralizada

As habilidades oriundas da cegueira de Matt foram diretamente responsáveis no desenvolvimento de suas habilidades como herói. Os sentidos aguçados do Demolidor lhe permitem analisar a seu redor. Ele utiliza sua audição perspicaz para discernir padrões vocais, batimentos cardíacos e a forma dos adversários caminharem.

Muitas vezes os advogados tendem a praticar uma visão excessivamente tecnicista e “cega” do problema. Entender de forma mais ampla outras ciências adjacentes ao direito como marketing, gestão financeira, empreendedorismo, PNL etc. podem auxiliar para uma leitura mais descentralizada da situação, gerando soluções holisticamente mais assertivas.

  1. A disciplina é essencial

Você pode pensar: mas Matt foi dotado de habilidades sensoriais sobre-humanas quando ficou cego, o tornando o herói consagrado que conhecemos. Verdade, mas mesmo com os poderes conquistados, o jovem Murdock passou por um rigoroso treinamento o seu mestre, Stick, líder do clã ninja, Os Virtuosos. Mesmo após a intensa preparação, treina artes marciais todos os dias afim de alcançar a perfeição em suas investidas como herói.

Como advogado tem vasto conhecimento das leis e dos estatutos de sua cidade. Também é autodidata e estudioso habitual de estratégia, tornando-se assim especialista em interrogatório e excepcional detetive.

Portanto, para o sucesso na profissão jurídica compromissada na excelência, a disciplina e planejamento possuem um papel essencial. Segundo Aristóteles: Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, portanto, não é um ato, mas sim um hábito.”

  1. Cumpra o que prometer

Seja como Demolidor ou advogado, Matt é sempre claro em seus planos, dialogando com clareza sua atuação em determinado conflito. A transparência e principalmente, o compromisso nas promessas e planos de ação são balizadores que reverberam na confiabilidade e caráter do protagonista perante seus aliados. Atitudes coerentes com os discursos geram aos advogados a percepção positiva de reputação e confiança, seja em face de clientes, parceiros, juízes e os outros advogados.

*Bruno Pedro Bom, consultor de Negócios e especialista em Marketing Jurídico. Fundador e diretor de Atendimento na BBDE Comunicação. Palestrante e autor da obra Marketing Jurídico na Prática. Advogado pela PUC/SP, publicitário pela ESPM/SP e MBA em Gestão Empresarial pela FGV/SP

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.