As lições da crise

As lições da crise

Luiz Carlos Motta*

12 de abril de 2021 | 07h30

Luiz Carlos Motta. FOTO: CÂMARA DOS DEPUTADOS

Infelizmente, sabemos que esta crise que estamos vivendo não será a última. A história tem mostrado que as adversidades só mudam de nome e de perfil. Podem ser graves, como a da Covid-19, numa combinação perigosa do caos sanitário, de desemprego e econômico. Em menor ou maior gravidade elas sempre estiveram presentes no mundo, principalmente, em países subdesenvolvidos como o Brasil. O que nos conforta é saber que estas ondas vêm e vão. Outro aspecto a considerar: é possível sair da crise com algum aprendizado. O brasileiro tem aprendido a ser mais solidário, a ser cidadão e participar dos movimentos que visam melhorar a vida, sobretudo, dos mais carentes.

Linha direta

O parlamento brasileiro é uma das alternativas mais práticas, eficientes e de fácil acesso para a participação popular. Experimente entrar no Portal da Câmara dos Deputados (www.camara.leg.br) para conferir as várias opções oferecidas com dois ou três cliques. É possível participar de enquetes, enviar perguntas para as audiências interativas, encaminhar mensagens diretamente para o gabinete do seu deputado e propor projetos de lei, entre outras ações que ajudarão o parlamentar a melhorar seu desempenho em prol da sociedade, fazendo com que a Câmara seja a caixa de ressonância das demandas de cada cidadão. Tem até uma área para conferir se uma notícia divulgada nas redes sociais ou por outros meios é falsa ou é fato, além de links de prestação de contas sobre o que é feito com o dinheiro que vem dos impostos que você paga.

Em época de crise, aumenta a justa cobrança de eleitores e não eleitores em relação aos três poderes, incluindo os parlamentares. Estando na linha de frente, conversando com um grande número de pessoas e de representantes de sindicatos, federações, associações e lideranças de diferentes segmentos, tenho observado pedidos por ações que promovam a ampliação do ritmo da vacinação, o auxílio emergencial e o apoio para as empresas evitarem a falência, freando assim a triste escalada do desemprego.

Uma ação muito divulgada nos últimos meses pela imprensa em geral diz respeito às emendas parlamentares, recursos solicitados pelos deputados, que saem do governo federal e vão diretamente para o município, atendendo as necessidades locais. Esta semana, por exemplo, o Congresso Nacional debate um dos temas mais importantes para o futuro do Brasil: o orçamento do Executivo.

Poder

Conhecimento é poder e conhecendo como funcionam as engrenagens da Câmara, o brasileiro pode cumprir melhor o seu papel de cidadão e, conseguir melhorias para a comunidade onde vive. Esse interesse deve levar em conta também o Senado, a Assembleia Legislativa e as Câmaras de Vereadores.

Mesmo não estando presente fisicamente nas casas legislativas, devido à pandemia, por meio da internet é possível interagir com o seu representado numa dessas Casas de Leis. Todas estão trabalhando de forma remota. A crise também serviu para aperfeiçoar as tecnologias dos portais e, assim, facilitar o contato entre a população e o parlamentar ou sua assessoria.

Mesmo que você não goste de política e, com razão, tenha sérias críticas a fazer, não se esqueça de uma frase do filósofo e matemático grego, Platão, que numa tradução livre revela: “Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam”.

*Luiz Carlos Motta, deputado federal (PL/SP)

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.