‘As eleições estaduais de 2018 estão em risco’

‘As eleições estaduais de 2018 estão em risco’

MDB, PSDB, PSD, PV, PHS, PMB, PODEMOS, PRTB, PSDC e PSC entraram com representação coletiva à Procuradoria-Geral da República pedindo para que o órgão se manifeste favoravelmente a uma intervenção federal na Secretaria de Segurança Pública do Maranhão

Da Redação

25 de abril de 2018 | 06h53

MDB, PSDB, PSD, PV, PHS, PMB, PODEMOS, PRTB, PSDC e PSC entraram com representação coletiva à Procuradoria-Geral da República pedindo para que o órgão se manifeste favoravelmente a uma intervenção federal na Secretaria de Segurança Pública do Maranhão. O pedido dos partidos oposicionistas no Estado se dá após a divulgação de ofícios internos da pasta em que era ordenada a espionagem de opositores políticos do governo Flávio Dino (PC do B) e de prefeituras.

Documento

Para os partidos, o propósito das ordens ‘era (e continua sendo) elaborar um banco de dados para monitorar, chantagear
e intimidar adversários do governo e do Governador Flávio Dino.

“Condutas essas que comprometem o pleito eleitoral de 2018 e ferem, mortalmente, o princípio máximo do Brasil: o regime democrático”, afirmam.

Para os opositores de Dino, é ‘de fácil constatação perceber que as eleições estaduais de 2018 estão em risco. A possibilidade de que não ocorram eleições limpas são concretas’.

“O abuso do poder político e econômico é flagrante, assim como é a compreensão de que os atos exarados por funcionários ocupantes de cargo em confiança, de elevado patamar dentro da estrutura organizacional do comando da polícia militar do estado do Maranhão a partir de março de 2018 (e já devidamente cumprido pelos oficiais do quadro da PM, vez que a operação ilegal somente fora descoberta depois de 45 (quarenta e cinco dias) após a emissão do comando) não pode ser compreendido como um ato isolado e sem relevância”, afirmam.

Assim que o caso veio à tona, Dino ordenou a exoneração de dois oficiais da PM responsáveis por emitir e depois distribuir o ofício. Na segunda, ao saber do pedido de intervenção, o governador reagiu no Twitter acusando a “máfia” do Maranhão de usar o episódio de forma política.

COM A PALAVRA, FLÁVIO DINO

“A máfia maranhense agora quer intervenção federal no Maranhão, com base em um papel assinado por um oficial do 5º escalão da PM. Não querem eleições, querem “tapetão”. Deve ser saudade do tempo da ditadura militar, quando mandavam sem ter votos”, afirmou o governador, por meio de sua conta no Twitter.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.