As 38 obras na mira da Omertà

As 38 obras na mira da Omertà

Relatório da Polícia Federal destaca empreendimentos em que pode ter ocorrido pagamento de propinas

Julia Affonso, Mateus Coutinho e Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, e Fausto Macedo

28 de setembro de 2016 | 05h00

Untitled_infographic (4)

Na mira da Operação Omertà, 35ª fase da Lava Jato, estão 38 obras da empreiteira Odebrecht em todo o País e no exterior. Os empreendimentos foram destacados pela Polícia Federal em relatório da Omertà, deflagrada nesta segunda-feira, 26, culminando com a prisão do ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil/Governos Lula e Dilma).

O relatório é subscrito pelo delegado federal Filipe Hille Pace.

“Relaciono algumas das obras públicas e/ou consórcios e empresas indicadas no documento mencionado, repetindo que, por se tratarem de arquivos recuperados, estão parcialmente corrompidos, não sendo permitindo vincular diretamente as obras e/ou consórcios e empresas indicadas com os beneficiários encontrados e mencionados acima”, afirma.

Pace é taxativo. “É indubitável que os nomes que colaciono motivaram pagamento de vantagens indevidas a agentes ainda não identificados.”

A Omertà investiga as relações de Antonio Palocci com a Odebrecht.

Planilha apreendida durante a operação, identificou que, entre 2008 e o final de 2013, foram pagos mais de R$ 128 milhões ao PT e seus agentes, incluindo Palocci.

Segundo a força-tarefa, remanesceu, ainda, em outubro de 2013, um saldo de propina de R$ 70 milhões, supostamente destinados também ao ex-ministro para que ele os gerisse no interesse da legenda.

VEJA A LISTA DE OBRAS NA MIRA DA PF

listaobras1

listaobras2

listaobras3

listaobras4

listaobras5

listaobras6

listaobras7

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoOdebrecht

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.