‘Arizinho’, apontado como operador de Cabral, é solto

Agente fazendário, que estava preso desde fevereiro, foi condenado nesta sexta-feira a 9 anos e 4 meses de detenção por lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa

Fábio Grellet, do Rio

21 de outubro de 2017 | 16h18

Ary Costa Filho em fevereiro, ao ser detido pela Polícia Rodoviária Federal no Rio. Foto: Divulgação

O agente fazendário Ary Ferreira da Costa Filho, acusado de atuar como operador financeiro no esquema de corrupção do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB), deixou a cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica (zona norte d0 Rio), por volta das 10h50 deste sábado, 21.

Preso no dia 2 de fevereiro, “Arizinho”, como é conhecido, foi condenado nesta sexta-feira, 20, a nove anos de prisão por lavagem de dinheiro, mas foi autorizado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal Criminal, a recorrer da sentença em liberdade.

+ Ex-assessor especial de Cabral é preso na Dutra

+ Sérgio Cabral condenado pela 3ª vez

“Arizinho” deixou a prisão acompanhado por dois advogados, mas nenhum deles conversou com a imprensa. Também nesta sexta-feira ele foi denunciado novamente à Justiça por outros crimes de lavagem de dinheiro.

Tendências: