Aprender para empreender

Thiago Shimada*

24 de outubro de 2020 | 03h00

Se, quando 2020 começou, a estabilidade era realidade para muitos, o cenário mudou, em alguns casos drasticamente, com a chegada da pandemia. O que pode ser visto, em grande parte, como uma realidade muito difícil pode também ser uma excelente oportunidade para empreender. Você precisa resolver a dor de alguém, simples assim. Alguém tem um problema e você pode resolver isto.

Fato é que, quando a dificuldade aparece, as pessoas se reinventam, buscam uma solução para seguir em frente e até aprendem um novo ofício, se necessário. Os boletos não param de chegar e, em momentos assim, a criatividade se torna grande aliada na busca por uma solução. Para isso, é preciso expandir sua perspectiva. Basta olhar ao seu lado, com a mente aberta. Por propósito ou por necessidade.

Quando falo em propósito de alguém, vale ressaltar,  que neste caso empreendedorismo está ligado ao sonho da pessoa, algo que será feito por amor. Um método japonês chamado Ikigai destaca tal item, quando coloca propósito como interseção de quatro pontos: que você tem por missão, paixão, profissão e vocação. No contexto da pandemia, é verdade, o mais comum foram as pessoas entrar no empreendedorismo por necessidade.

De todo modo, independente do que o leve para o empreendedorismo, o essencial é entender as necessidades que existem no mercado e qual lacuna você consegue preencher. Em outras palavras: veja no que você é bom, entenda se alguém precisa disso e, então, veja uma forma de vender para monetizar em cima disso.

Por propósito ou necessidade, é preciso trabalhar com foco e de olhos bem abertos para as armadilhas que podem surgir ao longo desse caminho, como por exemplo: imprevistos financeiros ou ainda dificuldades burocráticas de contratos com terceiros. Para evitar pontos assim é essencial uma organização robusta em todos os pontos do negócio. Diferente de quando se está em uma empresa, em que a terceirização de responsabilidade acaba acontecendo diversas vezes, ao empreender é preciso ter sempre em mente que você é o único responsável em todas as partes do processo. Em outras palavras, o sucesso do seu negócio depende diretamente da sua organização e controle constante em todas as etapas, para que imprevistos não signifiquem o término de um sonho.

*Thiago Shimada, CEO da Academia da Marca

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.