Após PF apreender R$ 2 milhões e dizer que tem vídeo de dinheiro desviado a Josimar de Maranhãozinho, deputado afirma ver motivação política em operação

Após PF apreender R$ 2 milhões e dizer que tem vídeo de dinheiro desviado a Josimar de Maranhãozinho, deputado afirma ver motivação política em operação

Endereços ligados ao parlamentar foram vasculhados pela Polícia Federal nesta quarta-feira, 9, na Operação Descalabro

Rayssa Motta e Pepita Ortega

09 de dezembro de 2020 | 17h26

Alvo da Operação Descalabro na manhã desta quarta-feira, 9, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) se manifestou sobre a investigação da Polícia Federal. O parlamentar se disse surpreso, negou irregularidades e colocou sob suspeita o cumprimento dos mandados de busca e apreensão após ter reafirmado sua candidatura ao governo maranhense em 2022.

“Como não tem nada a temer, Maranhãozinho reafirma, como sempre, seu total apoio à apuração dos fatos, desde que respeitados o devido processo legal e o amplo direito de defesa”, diz um trecho da nota divulgada pela assessoria (leia a íntegra no final da matéria).

O deputado Josimar Maranhãozinho. Foto: Câmara dos Deputados

Mais cedo, a PF fez buscas em 27 endereços em São Luís e no interior do Maranhão. Os materiais apreendidos serão analisados na tentativa de aprofundar uma investigação sigilosa, conduzida pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre indícios de um esquema de desvio de verbas de emendas parlamentares destinadas à Saúde do Estado. A suspeita é que o dinheiro tenha sido apropriado através do direcionamento de licitações em favor de empresas de fachada controladas pelo deputado.

Segundo as investigações, Josimar destinou as emendas, na ordem de R$ 15 milhões, para municípios do interior do Estado do Maranhão, seu reduto eleitoral, e depois recebeu os valores em espécie. “Os Fundos Municipais de Saúde, ao receberam os recursos, firmaram contratos fictícios com empresas ‘de fachada’, pertencentes ao Deputado, que estão em nome de interpostas pessoas, desviando, assim, o dinheiro público. Posteriormente essas empresas efetuaram saques em espécie e o dinheiro era entregue ao Deputado, no seu escritório regional parlamentar em São Luís”, explicou a corporação.

A Polícia Federal aponta ainda que as investigações, iniciadas há quatro meses, não só constataram os desvios, como também acompanharam os saques e conseguiram o registro de áudio e vídeo da distribuição dos valores no escritório regional do parlamentar – um dos locais vasculhados.

Nos endereços do deputado, os policiais federais encontraram cerca de R$ 2 milhões em dinheiro vivo. Ao se manifestar sobre a apreensão, o parlamentar afirmou que os valores são ‘oriundos de sua atividade pecuária e empresarial’.

COM A PALAVRA, O DEPUTADO

Acerca de matérias jornalísticas publicadas na imprensa maranhense, tratando de operação deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (09), cujo alvo foi o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL), em respeito à sociedade maranhense, a assessoria de comunicação do parlamentar faz este comunicado com base nos esclarecimentos abaixo narrados, para que se restabeleça a verdade dos fatos, equivocadamente divulgados em blogs, portais e emissoras de rádio e tv:

1 – O deputado federal Josimar Maranhãozinho foi tomado de surpresa em relação à operação realizada pela Polícia Federal nesta quarta-feira (09). O parlamentar está tranquilo e se coloca inteiramente à disposição da Justiça para elucidar qualquer fato que seja necessário;

2 – Como não tem nada a temer, Maranhãozinho reafirma, como sempre, seu total apoio à apuração dos fatos, desde que respeitados o devido processo legal e o amplo direito de defesa;

3 – Lembra ainda que, como deputado federal destinou mais de R$ 15 milhões aos municípios maranhenses, mas os recursos foram distribuídos e aplicados de forma legal prova disso, por exemplo, que o relator do inquérito na Justiça Federal não teria encontrado nenhum indício que pudesse autorizar prisão de algum dos investigados;

4 – O deputado estranha que a operação tenha surgido justamente, pouco tempo depois de reafirmar sua candidatura ao governo em 2022 e, coincidentemente, a uma semana após ser alvo de uma série de ataques dos adversários onde alguns, inclusive, chegaram a usar as redes sociais para comemorar ação de hoje, enquanto outros usaram seus assessores para anunciar em blogs, antecipadamente, que ele seria alvo da PF;

5 – Sobre o dinheiro encontrado em sua casa e escritório, esclarece que não existe nenhuma irregularidade já que o montante sequer ultrapassa o teto, informado à Receita, por meio da Declaração do Imposto 2020. Além disso, cabe informar ainda que o montante em especie que foi encontrado em seu poder são oriundos de sua atividade pecuária e empresarial, fatos que serão comprovados posteriormente;

6 – Por fim, para comprovar a veracidade dos fatos, anexamos cópias dos IR 2020 e do relatório de convênios assinados com recursos de emendas. Reitera que a sociedade maranhense pode continuar confiando na sua conduta, na certeza de que uma apuração isenta e justa resultará no pleno esclarecimento das denúncias. Além disso, o deputado reafirma que não irão lhe intimidar quanto ao seu desejo de concorrer na disputa majoritária de daqui a dois anos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.