Após largada de Doria em São Paulo, Moro defende que Brasil pode ‘trabalhar junto, como um só País, para vacinação em massa’

Após largada de Doria em São Paulo, Moro defende que Brasil pode ‘trabalhar junto, como um só País, para vacinação em massa’

Pepita Ortega

17 de janeiro de 2021 | 18h25

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro. Foto: Adriano Machado / Reuters

Para o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a aprovação de vacinas contra a Covid-19 e a imunização da primeira brasileira com Coronavac, em São Paulo, mostra que o Brasil ‘pode trabalhar junto como um só País’.

“Precisaremos disso para a necessária vacinação em massa”, afirmou o ex-juiz da Lava Jato, que deixou o governo Bolsonaro em abril, no início da pandemia do novo coronavírus.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou neste domingo, 17, por unanimidade, o uso emergencial da Coronavac e da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca.

Minutos após o fim da reunião da Anvisa, a enfermeira do Instituto Emílio Ribas Mônica Calzalans foi a primeira brasileira vacinada contra a Covid-19.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.