Após indiciamento, amigo de Lula será interrogado pela PF

Após indiciamento, amigo de Lula será interrogado pela PF

Depoimento de José Carlos Bumlai, preso na Operação Lava Jato, está marcado para segunda-feira, 14; veja a íntegra do relatório de indiciamento

Ricardo Brandt

12 de dezembro de 2015 | 05h00

Imagem apreendida nas buscas feitas pela PF, nos escritórios de José Carlos Bumlai / Reprodução

O pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula preso como alvo central da 21ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Passe Livre, será interrogado pela Polícia Federal na segunda-feira, dia 14, às 14h, em Curitiba onde está preso desde o dia 24 de novembro. Ele foi indiciado nesta sexta-feira pela prática dos crimes de corrupção passiva e gestão fraudulenta.

O indiciado será interrogado dia 14 de dezembro de 2015, às 14h, oportunidade em que poderá se manifestar sobre os fatos e sobre o resultado parcial das medidas de polícia judiciária até então adotadas”, informa o delegado da PF Filipe Hille Pace, da equipe da Lava Jato, em Curitiba, em seu despacho de indiciamento.

INDICIA BUMLAI

trecho final indiciamento

Bumlai foi preso preventivamente no dia 24 de novembro acusado de tomar um empréstimo de R$ 12 milhões como o Banco Schahin, em 2004, “o qual possivelmente tinha como beneficiário final o Partido dos Trabalhadores”.

“Para tanto, praticou diversas manobras ilícitas em conluio com os gestores de instituições financeiras do Grupo Schahin – o banco e a securitizadora –, consistentes, dentre outras, em produção de diversos documentos ideologicamente falsos, os quais propiciaram vantagens ao próprio grupo e seus dirigentes, bem como a José Carlos Bumlai, uma vez que foi possível quitar, de maneira indevida, o empréstimo tomado inicialmente em 2004”, informa despacho de indiciamento da PF.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.