Apoio a Moro já mobiliza 1340 magistrados

Apoio a Moro já mobiliza 1340 magistrados

Abaixo-assinado é a maior manifestação de solidariedade a um juiz brasileiro; depois que mandou conduzir coercitivamente Lula e dar publicidade a grampos do petista com a presidente Dilma, juiz da Lava Jato recebeu críticas do governo e do PT

Fausto Macedo, Mateus Coutinho e Julia Affonso

15 Abril 2016 | 16h58

Juiz Sérgio Moro durante evento em Curitiba. FOTO:  Rodolfo Buhrer/REUTERS

Juiz Sérgio Moro durante evento em Curitiba. FOTO: Rodolfo Buhrer/REUTERS

O apoio ao juiz federal Sérgio Moro já alcança 1340 adesões de magistrados em todo o País. A grande mobilização da toga foi desencadeada em março, depois que o juiz da Lava Jato sofreu pesadas críticas da presidente Dilma e do PT por ter determinado a condução coercitiva do ex-presidente Lula e por ter dado publicidade aos autos da Operação Aletheia – fase da Lava Jato que pegou o petista.

A primeira contagem, de 22 de março, apontava a adesão de 752 juízes de todos os segmentos, principalmente estaduais, federais e do Trabalho.

Nesta quinta-feira, 14, o abaixo assinado de apoio a Moro e ao fortalecimento e à independência do Judiciário bateu na casa de 1340 adesões.

Moro é titular da 13.ª Vara Federal de Curitiba, base da Lava Jato. Ele conduz todas as ações penais decorrentes da investigação sobre esquema de corrupção e cartel na Petrobrás entre 2004 e 2014.
O movimento por Sérgio Moro não tem qualquer apoio associativo e foi idealizado através das redes sociais em grupos fechados de juízes.

A juíza federal do Rio de Janeiro Márcia Ferreira faz uma ponderação. “Diante do atual cenário de grave crise política e institucional e, considerando os recentes ataques perpetrados em face da independência funcional do colega Sérgio Moro, mais de 1.300 magistrados brasileiros manifestam apoio à serenidade, à coragem, à bravura e à independência do nosso colega de Curitiba. Somente um Poder Judiciário independente e livre de pressões políticas pode assegurar a salvaguarda dos direitos previstos na Constituição Federal, e impedir rupturas no Estado Democrático de Direito.”

O desembargador do Tribunal de Justiça São Paulo Edison Barroso afirma que Moro ‘cumpre o dever de magistrado, como se deve’.

“Sua conduta o referenda. As firmes decisões, adstritas à lei e aos impositivos ético/morais, colocam-no acima dos ataques sofridos –indicativos de que comprometido e alinhado à Constituição Federal. Moro é exemplo doutros juízes brasileiros, anônimos, que se pautam pela decência e honradez, somadas ao zelo nas coisas da Justiça – a que enriquece. O fato de não se curvar a pressões, exceto as da consciência, sobretudo no tormentoso momento da Nação, erigem-no à condição de executor fiel do ideal democrático de um Poder Judiciário positivamente independente e autônomo. Por isso, como magistrado de carreira do Estado de São Paulo, ora no cargo de desembargador, também sou Moro. Avante, Brasil!”

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DE APOIO AO JUIZ FEDERAL SÉRGIO MORO:

“Os Juízes brasileiros signatários da presente nota, diante dos recentes desdobramentos da Operação Lava-Jato, em especial os relatos de diálogos entre a Presidente da República, Senhora Dilma Rousseff, e o Ex-Presidente Lula, vêm a público externar o irrestrito apoio às decisões que foram proferidas, em Curitiba, pelo Juiz Federal Sérgio Moro.

Ao atuar de maneira firme, comprometida e alinhada à Constituição Federal, Sérgio Moro reflete o ideal de um Poder Judiciário independente e autônomo, que não se curva a condutas ilícitas e anti-republicanas. A banalização da corrupção e a cultura da impunidade devem ser página virada em nosso País. Sigamos vigilantes e firmes! Juízes brasileiros em apoio ao Juiz Federal Sérgio Moro.”

Mais conteúdo sobre:

Sérgio Moro