Apenas uma pessoa no País tem o mesmo nome usado por Bolsonaro em exame

Apenas uma pessoa no País tem o mesmo nome usado por Bolsonaro em exame

Outras 125 se chamam Airton Guedes, também um codinome que o presidente diz ter usado em exames

Lorenna Rodrigues, Vinícius Valfré, Rafael Moraes de Moura/BRASÍLIA

13 de maio de 2020 | 19h57

O codinome utilizado pelo presidente Jair Bolsonaro para um dos exames para detecção da covid-19 coincide com o nome de um brasileiro. De acordo com a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), há um único Rafael Augusto Alves da Costa Ferraz registrado no País.

Já o segundo nome escolhido por Bolsonaro é mais comum. Segundo a Arpen, há 125 pessoas registradas com o nome Airton Guedes no país. O primeiro registro é de 1932.

Depois de o Estadão pedir na Justiça acesso aos exames do presidente, a Advocacia-Geral da União (AGU) entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF) três exames com resultado negativo feitos pelo presidente. Dois exames, feitos pelo laboratório Sabin, foram registrados com o CPF, RG e data de nascimento de Bolsonaro, mas sob os codinomes de Rafael Augusto Alves da Costa Ferraz e Airton Guedes.

O presidente Jair Bolsonaro participa de cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio do Planalto. Foto: AP Photo/Eraldo Peres

O terceiro exame, feito pela Fiocruz, identifica o nome da pessoa apenas como “Paciente 05”. Não há indicação de documentos pessoais nem da data de nascimento do paciente.

A AGU entregou ao gabinete do ministro Ricardo Lewandowski um total de três exames, se antecipando a uma decisão do magistrado na análise de um recurso do Estadão que pedia a divulgação dos laudos. Foram feitas duas remessas. O teste da Fiocruz foi o último a ser entregue ao Supremo, na manhã desta quarta-feira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.