Apenas 2 procuradores disputam eleição para comando da Procuradoria em SP

Mateus Coutinho

12 de março de 2014 | 22h31

Não haverá terceiro candidato; prazo de inscrição terminou nesta terça feira, 11

por Fausto Macedo

Não haverá um terceiro candidato nas eleições para procurador geral de Justiça de São Paulo. Terminou nesta terça feira, 11, o prazo de inscrição e o quadro não se alterou: vão disputar o pleito apenas dois procuradores, Márcio Fernando Elias Rosa e Luiz Antonio Guimarães Marrey.

Elias Rosa foi procurador geral nos últimos dois anos e busca a recondução ao posto de mandatário máximo da instituição. Luz Marrey, que já ocupou a cadeira em três oportunidades, agora quer voltar.

A eleição no Ministério Público de São Paulo será no dia 5 de abril.A lista com os votados será encaminhada ao governador Geraldo Alckmin.

O governador tem a prerrogativa constitucional de escolher qualquer nome, independente da ordem de colocação na eleição. Em 2012, Alckmin nomeou Elias Rosa. Em 2002, ele nomeou Marrey.

Os dois candidatos travam tensa batalha nos bastidores da instituição. Eles juram independência no exercício do cargo.
“A independência é absoluta e plenamente exercida”, afirma Elias Rosa. “Foram inúmeras demonstrações inequívocas nesses dois anos.”

Marrey afirma que sua independência “é total”. Durante 8 anos ele serviu fielmente ao Poder Executivo e a políticos do PSDB, primeiro como secretário de Negócios Jurídicos da gestão José Serra (Gilberto Kassab como vice) na Prefeitura da Capital, depois como secretário de Justiça de Serra no governo estadual e, mais tarde, como secretário de Governo de Alberto Goldman.

“Independência total, sob pena de grave violação dos deveres do cargo”, assegura Marrey. “Não bastam garantias constitucionais se o procurador-geral tiver receio de desagradar a qualquer setor.”