STF julga ação que questiona se réu pode estar na linha sucessória da Presidência

STF julga ação que questiona se réu pode estar na linha sucessória da Presidência

Beatriz Bulla e Julia Lindner

03 Novembro 2016 | 14h12

O Supremo Tribunal Federal (STF) examina nesta quinta-feira, 3, a ação que pede que réus saiam da linha sucessória da Presidência da República. O julgamento pode colocar em risco o cargo do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A Rede quer que o Supremo determine que políticos com denúncias admitidas pela Corte não possam substituir o presidente da República, nem mesmo em caso de viagens. Alvo de 11 inquéritos, Renan é o segundo na linha sucessória de Temer, após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O ministro do STF Edson Fachin já liberou para julgamento uma denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Renan. Caso o plenário do Supremo aceite a denúncia, ele se tornará réu e responderá a uma ação penal por peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso. A data desse julgamento, no entanto, ainda não foi definida.

Mais conteúdo sobre:

STF