Dilma fora

Dilma fora

Por 61 votos contra 20 e nenhuma abstenção, Senado tira Dilma Vana Rousseff do poder por crime de responsabilidade

Redação

31 de agosto de 2016 | 10h30

dilma placar impeachment

 

Por 61 votos a 20, o Senado Federal tirou do poder Dilma Vana Rousseff (PT) por crime de responsabilidade. A petista foi afastada definitivamente nesta quarta-feira, 31. Todos os 81 senadores votaram, não houve abstenção.

Era necessário que ao menos 54 senadores decidissem pela condenação para Dilma ser removida do cargo. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), votou a favor do impeachment de Dilma.

No lugar de Dilma será efetivado o vice-presidente e atual presidente em exercício Michel Temer (PMDB). A posse será às 16h desta quarta-feira.

Por decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), no comando do processo de impeachment, foram feitas duas votações. Na primeira, os senadores decidiram se Dilma Rousseff deveria ser condenada à perda do cargo por crimes de responsabilidade. Na segunda, se ficaria inabilitada a funções públicas por 8 anos.

Tudo o que sabemos sobre:

ImpeachmentDilma Rousseff

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.