Bretas homologa delação de alvo da Operação Câmbio, Desligo

Bretas homologa delação de alvo da Operação Câmbio, Desligo

Economista Oswaldo Prado Sanches foi denunciado pelo Ministério Público Federal por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa

Caio Sartori / RIO

14 de agosto de 2019 | 00h28

Juiz Marcelo Bretas. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADÃO

Alvo da Operação Câmbio, Desligo, de maio de 2018, o economista Oswaldo Prado Sanches, ex-diretor da empresa Bozano, teve delação premiada homologada pelo juiz Marcelo Bretas. Sanches e outras 61 pessoas foram denunciados no dia 7 de junho do ano passado pelo Ministério Público Federal por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa.

A homologação foi noticiada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, e confirmada pelo Estado. Segundo o MPF, Sanches teria feito 187 operações num período de dez anos, entre 2006 e 2016, que totalizariam R$ 29 milhões. O dinheiro seria transferido em dólar para contas ligadas aos doleiros Vinícius Claret, o Juca Bala, e Claudio Barbosa, o Tony. Em troca, ele receberia dinheiro em espécie na sede da Bozano, no Rio.

Sanches teria, segundo a denúncia, o poder de controlar a conta pessoal de Julio Bozano, o dono da empresa. A companhia fechou acordo de leniência com o MPF, mas ele não é investigado. A Bozano terá de pagar R$ 60 milhões por causa de crimes fiscais praticados por diretores como Oswaldo Prado Sanches.

O dinheiro movimentado por Sanches não saiu dos cofres públicos e, portanto, não tem relação com o esquema ligado ao ex-governador Sérgio Cabral (MDB), preso desde novembro de 2016.

Tendências: