Alto escalão da Procuradoria cobra de Bolsonaro ‘imparcialidade’ na escolha da PGR

Alto escalão da Procuradoria cobra de Bolsonaro ‘imparcialidade’ na escolha da PGR

Entre os 22 signatários de nota pública, estão o ex-vice-procurador-geral Nicolao Dino, que foi o primeiro colocado na lista tríplice de 2017, quando o então presidente Michel Temer (MDB) escolheu Raquel Dodge; e Luiza Frischeisen, atual segunda colocada

Luiz Vassallo

19 de agosto de 2019 | 20h45

Presidente Jair Bolsonaro. FOTO: Evaristo Sá/AFP

Em nota pública, 22 subprocuradores-gerais da República cobraram do presidente Jair Bolsonaro ‘imparcialidade’ na escolha para a Procuradoria-Geral da República.

Entre os signatários, estão inclusive a segunda colocada da lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores, Luiza Frischeisen. Também Nicolao Dino, que foi vice de Rodrigo Janot, e primeiro colocado de 2017, quando o então presidente Michel Temer (MDB) escolheu a segunda da lista, Raquel Dodge.

Os signatários afirmam que o ‘Ministério Público é o grande defensor dos interesses da sociedade brasileira, tendo, portanto, a obrigação de proteger o interesse público, conduzindo-se, sempre, em qualquer das esferas de atuação, com isenção, apartidarismo e profissionalismo na defesa do devido processo legal e dos direitos fundamentais’.

“Quem ocupa a função de Procurador(a)-Geral da República deve obedecer a esses mesmos princípios, ter uma carreira de envolvimento com os assuntos atuais do Ministério Público Federal, e sua indicação, pelo Presidente da República ao Senado Federal, deve ser regida por total imparcialidade”, dizem.

“Nesse sentido, espera-se que o Presidente da República atente para tais princípios constitucionalmente assegurados, em prol da sociedade brasileira”, concluem.

Quando recebeu a lista tríplice das mãos do presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, Fábio George Cruz da Nóbrega, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não iria se comprometer a seguir a indicação da entidade. Lideram a lista da ANPR Mário Bonsaglia, Luiza Frischeisen e Blal Dalloul.

Bolsonaro já recebeu procuradores de fora da lista, como Augusto Aras, e Paulo Gonet. Além deles, a atual mandatária Raquel Dodge corre por fora para a nomeação.

Tendências: