Alexandre envia ao Ministério Público Eleitoral denúncia sobre gastos de Bolsonaro no cartão corporativo durante motociatas

Alexandre envia ao Ministério Público Eleitoral denúncia sobre gastos de Bolsonaro no cartão corporativo durante motociatas

Deputado Elias Vaz (PSB-GO) pede investigação para saber se o presidente usou dinheiro público para bancar campanha antecipada

Rayssa Motta

21 de junho de 2022 | 17h20

O presidente Jair Bolsonaro durante motociata em São Paulo. Foto: Werther Santana/Estadão

O ministro Alexandre de Moraes, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), abriu prazo para o Ministério Público Eleitoral (MPE) dizer se vê elementos para investigar os gastos do presidente Jair Bolsonaro (PL) com a participação em motociatas de apoio ao governo.

Documento

O pedido de investigação foi feito pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), que apontou “gastos exorbitantes” no cartão corporativo do presidente durante esses eventos.

Moraes despachou em um processo, aberto a partir de representação do PDT, que analisa se Bolsonaro vem usando as motociatas para fazer propaganda antecipada.

O levantamento do deputado Elias Vaz, feito a partir de informações do Portal da Transparência da Presidência da República, apontou, por exemplo, mais de R$160 mil em passagens e diárias para Bolsonaro participar da motociata em São Paulo, no dia 15 de abril.

“Há indícios graves de que o Bolsonaro esteja utilizando o cartão corporativo para custear campanha fora da época autorizada por lei. É um desrespeito utilizar dinheiro público com essa finalidade”, afirma o deputado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.