Alexandre intima advogados de Daniel Silveira a explicarem descumprimento de medidas cautelares e impõe nova multa de R$ 135 mil

Alexandre intima advogados de Daniel Silveira a explicarem descumprimento de medidas cautelares e impõe nova multa de R$ 135 mil

Deputado já foi condenado pelo ministro a pagar R$ 405 mil por desrespeitar restrições

Weslley Galzo/BRASÍLIA

11 de maio de 2022 | 17h50

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quarta-feira, 11, a intimação dos advogados do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PTB-RJ) para que expliquem os sucessivos descumprimentos de medidas cautelares, como o uso de tornozeleira eletrônica, pelo parlamentar. O magistrado mandou a defesa do congressista indicar a “disposição” do seu cliente em cumprir, imediatamente, as ordens da Justiça ou se haverá “nova recusa em utilizar o equipamento de monitoramento eletrônico”. Ele também determinou uma nova multa de R$ 135 mil.

Documento

Na decisão, Moraes afirma que a falta de resposta pode gerar “cumulativas multas diárias” ao deputado. Silveira já foi condenado pelo ministro a pagar multa de R$ 405 mil por descumprir medidas cautelares anteriores, mas recorreu da decisão na última segunda-feira, 9, alegando que o relator do caso “posterga” o fim do processo.

Deputado Daniel Silveira foi multado por descumprir medidas cautelares. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Para a defesa do parlamentar, Moraes “perpetua a manutenção das medidas cautelares em uma ação penal, no tempo presente, sem objeto, sem interesse de agir e, consequentemente, sem justa causa”. A defesa sugere, portanto, duas soluções: que o ministro reconsidere a própria decisão e cancele a multa, ou que envie o recurso para análise no plenário do Supremo.

Os advogados de Silveira ainda pedem a Moraes que determine a perda de eficácia das medidas cautelares autorizadas contra o parlamentar, além de reconhecer a impossibilidade de puni-lo depois do decreto presidencial do presidente Jair Bolsonaro (PL) que perdoou sua condenação a oito anos e nove meses por ataques à democracia e aos membros do Supremo.

Apesar dos pedidos da defesa, Moraes já afirmou, em mais de uma ocasião, que as medidas cautelares contra Daniel Silveira estão mantidas até o Supremo Tribunal Federal analisar os efeitos do perdão presidencial.

Tudo o que sabemos sobre:

Daniel Silveira

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.