Alexandre defende hackers na prisão

Alexandre defende hackers na prisão

Ministro do Supremo declarou nesta segunda, 17, que ataque a comunicações pessoais e vazamento de diálogos atribuídos a procuradores da Operação Lava Jato e o ex-juiz federal Sérgio Moro 'é caso de polícia'

Fausto Macedo e Julia Affonso

17 de junho de 2019 | 17h50

Alexandre de Moraes. Foto: André Dusek/Estadão

O ministro do Supremo Alexandre de Moraes disse nesta segunda, 17, que ‘é caso de polícia’ o ataque de hackers a comunicações pessoais e vazamento de diálogos atribuídos a procuradores da Operação Lava Jato e ao ex-juiz Sérgio Moro.

Alexandre defendeu prisão para os hackers. “A ação (dos hackers) é questão de polícia. Eles devem ser alcançados. devem ser punidos, devem ser presos”, afirmou o ministro, que preside o inquérito das fake news contra o Supremo.

“Aqui é uma atividade ilícita”, disse Alexandre.

Ministro da Justiça, Sérgio Moro. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Ele comentou, ainda, que um outro ponto do caso é a ‘avaliação do que foi conversado ou não’ entre Moro e procuradores da Lava Jato.

“Para isso dependemos, primeiro, que todo o material seja divulgado, segundo, que seja atestada a autenticidade e a veracidade desse material. Com o que se coloca, a conta gotas, não é possível ter uma visão de conjunto nem da veracidade nem da autenticidade.”

Tendências: