Agentes da PF e auditores da Receita fazem protesto por indenização na fronteira

Agentes da PF e auditores da Receita fazem protesto por indenização na fronteira

Lei, criada há um ano pelo governo Dilma, ainda não foi regularizada

Fausto Macedo

04 de setembro de 2014 | 20h19

Policiais federais, analistas e auditores da Receita e policiais rodoviários federais realizaram nesta quinta feira, 4, manifestação em cidades do Mato Grosso do Sul para reivindicar a implementação imediata da lei que prevê a indenização de fronteira – criada em setembro de 2013, mas até agora não regularizada. É o terceiro ato realizado por essas categorias. Os policiais e os analistas apontam “descaso” do governo federal com os servidores.

A manifestação teve início logo pela manhã. Cerca 50 servidores realizaram ato em Ponta Porã, no posto da Polícia Rodoviária Federal, na rodovia 463, que liga Ponta Porã a Dourados. Foi servido um bolo aos motoristas que passavam pela rodovia simbolizando um ano da criação da lei.
Em Dourados também houve protesto. Em Corumbá, a mobilização ocorreu na parte da tarde desta quinta feira, 4.

A indenização, assegurada pela Lei 12.855, de 3 de setembro de 2013, é um valor a ser pago aos servidores das várias categorias que trabalham em fronteiras e locais de difícil acesso. Ela foi instituída com base no Plano Estratégico de Fronteira, criado pelo próprio governo federal em 2011, para reforçar a segurança e promover ações coordenadas entre as Forças Armadas, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

Os policiais que fizeram protesto argumentam que a indenização seria um estímulo ao servidor para permanecer nas áreas de alto risco por mais tempo.

4
1
2
3

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.