Aécio depõe no inquérito Furnas

Aécio depõe no inquérito Furnas

Presidente nacional do PSDB foi ouvido por uma hora e negou envolvimento em suposto esquema de propinas no âmbito da estatal de energia

Luiz Vassallo e Julia Affonso

02 de maio de 2017 | 21h45

Aécio Neves. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, foi ouvido nesta terça-feira, 2, no inquérito Furnas – suposto esquema de propinas no âmbito da estatal de energia. O tucano foi ouvido na condição de investigado. Aécio teria envolvimento com dirigentes do PP em contratos de Furnas.

O inquérito é decorrente da Operação Lava Jato.

No último dia 26, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, acolheu pedido da defesa de Aécio e suspendeu o depoimento do tucano. O ministro mandou a Polícia Federal disponibilizar ‘todos os depoimentos de testemunhas já colhidos’ no inquérito Furnas.

Gilmar proibiu a PF de ‘surpreender’ Aécio, investigado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito da estatal mineira.

No início de abril, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, autorizou a abertura de outros cinco inquéritos contra o tucano, todos com base na delação da Odebrecht.

No pedido de adiamento do depoimento de Aécio, na semana passada, seu advogado, o criminalista Alberto Zacharias Toron alegou que lhe foi negado o acesso a depoimentos já produzidos, sob o argumento de que representariam ‘diligência em andamento’.

Para Toron, as acusações ao senador ‘são infundadas’. Segundo ele, Aécio respondeu todas as perguntas que lhe foram feitas no depoimento.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoAécio Neves

Tendências: