Por ‘foro íntimo’, advogado deixa deputado da mala dos R$ 500 mil

Por ‘foro íntimo’, advogado deixa deputado da mala dos R$ 500 mil

O criminalista José Luís de Oliveira Lima renuncia à defesa do parlamentar peemedebista flagrado pela PF correndo com suposta propina da JBS

Fausto Macedo e Luiz Vassallo

29 de maio de 2017 | 14h57

José Luis Oliveira Lima. Foto: Ed Ferreira/Estadão

O advogado José Luís de Oliveira Lima deixou a defesa do deputado federal afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). O criminalista alegou questões de ‘foro íntimo’ ao renunciar à defesa do peemedebista.

Rodrigo Rocha Loures é o homem de confiança do presidente Michel Temer flagrado, em ação controlada da Polícia Federal sobre executivos da JBS, recebendo uma mala de dinheiro de R$ 500 mil do diretor de Relações Institucionais da J&F, Ricardo Saud. O parlamentar foi afastado do cargo após decisão do Supremo Tribunal Federal, no dia 18 de maio.

Em áudio gravado por Joesley, em visita às escondidas no Palácio do Jaburu, Michel Temer indica Loures para ser seu interlocutor junto à empresa. O peemedebista afirmou, durante as gravações, que o empresário poderia tratar de qualquer assunto com o deputado.

Loures é acusado de receber propinas de R$ 500 mil semanais em troca de influência sobre o preço do gás fornecido pela Petrobrás à termelétrica EPE – o valor da propina, supostamente ‘em benefício de Temer’, como relataram executivos da JBS, é correspondente a 5% do lucro que o grupo teria com a manobra.

As tratativas teriam sido feitas entre o parlamentar, homem de confiança de Temer, e o presidente interino do CADE, Gilvandro Araújo, de acordo com a delação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.