Adoção: o que a juventude tem a ver com isso?

Adoção: o que a juventude tem a ver com isso?

Belle Leal*

12 de dezembro de 2019 | 03h00

Belle Leal. FOTO: DIVULGAÇÃO

Quem conhece alguém que adotou um filho ou filha ou foi adotado? Muito provavelmente a maioria de nós, para não dizer todos. A adoção está presente em nossas vidas, de uma maneira ou de outra, direta ou indiretamente. Está aí um excelente motivo para que este assunto seja colocado na roda dos debates, da primeira infância à terceira idade (seja qual for a idade).

No Brasil, uma criança é adotada a cada quatro horas. Na última década, foram nove mil adoções, segundo o Conselho Nacional de Justiça. Apesar disso, ainda existem outras nove mil vidas nos abrigos à espera de uma família. Ao total, constam 43,6 mil pessoas como pretendentes no Cadastro Nacional de Adoção.

Portanto, os dados estão colocados e a realidade também. O fato é que nós, jovens, precisamos refletir sobre os desafios da adoção no Brasil. E mais! Precisamos ir além de nossas expectativas individuais e pensar de forma coletiva. O que podemos fazer a respeito? Devemos ir mais à frente dos nossos próprios anseios e ter empatia. É hora de discutir e agir.

Nossa responsabilidade social é enorme, e dela depende nosso próprio futuro. Já parou para pensar? Uma vantagem é que hoje temos muitos canais, espaços e instrumentos para levantar a discussão sobre a adoção e tantos outros assuntos que merecem nossa atenção. Devemos cada um fazer a nossa parte, seja em uma conversa entre amigos ou nas redes sociais.

Particularmente, acredito demais no poder transformador da literatura. Meu último livro, Quando a Gente Acontece, é um romance teen em que, entre tantos dilemas de uma jovem mulher, trago à tona o tema da adoção. Uma pequena contribuição para um grande debate, em que precisamos nos inserir cada vez mais para sermos agentes de mudanças nessa sociedade que tem muito a evoluir.

*Belle Leal, estudante e escritora cearense, 16 anos. Além de Quando a Gente Acontece, é autora da obra O Lado Estranho do Amor

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoAdoção

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: