Ações pedem à Justiça que suspenda demissão de Valeixo da PF

Ações pedem à Justiça que suspenda demissão de Valeixo da PF

Em pelo menos três ações à Justiça Federal em Brasília, advogados também querem barrar uma eventual nova nomeação para o comando da Polícia Federal pelo governo Jair Bolsonaro

Rafael Moraes Moura/BRASÍLIA

24 de abril de 2020 | 17h04

Mauricio Leite Valeixo. Foto: Denis Ferreira Netto/Estadão

Pelo menos três ações populares na Justiça Federal em Brasília pedem que seja suspensa a demissão do ex-diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, e também que o governo Jair Bolsonaro seja impedido de fazer nova nomeação ao cargo. Nos pedidos, os advogados também querem que magistrados querem que o ex-ministro Sérgio Moro, e Valeixo, prestem informações.

A Justiça Federal em Brasília determinou que seja suspensa a demissão do ex-diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, pelo governo Jair Bolsonaro. A decisão da 21ª Vara Federal de Brasília também barra

“Para se combater corrupção e crimes não pode haver nenhuma intervenção política em órgãos que possuem poder de polícia, sendo tal interferência imoral, ilegal, incompreensível de todos os ângulos!”, afirma Felipe Torello Teixeira Nogueira, um dos advogados que foram à Justiça.

Em outro pedido, os advogados Iggor Gomes Rocha e Rogério Alves Vilela afirmam que ‘não houve pedido de exoneração, e o Presidente assim disse’.

“Provado o falso motivo, é nula a exoneração, devendo ser reintegrado ao cargo. É isso que se pede nos autos, reiterando as escusas pela brevidade das explicações haja vista que a narrativa dispensa detalhamento. A nulidade é patente”, argumentam.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.