Ação para cobrança de dívida da Arena Corinthians é suspensa por 60 dias

Ação para cobrança de dívida da Arena Corinthians é suspensa por 60 dias

Juiz federal em São Paulo atende a um novo pedido conjunto das partes em ação movida pela Caixa contra o campo do timão inaugurado na Copa-14

Pedro Prata e Pepita Ortega

20 de fevereiro de 2020 | 16h25

Arena Corinthians. Foto: Alex Silva/Estadão

Atendendo a um novo pedido conjunto das partes, o juiz federal Victorio Giuzio Neto, da 24.ª Vara Cível Federal de São Paulo, suspendeu por mais 60 dias a ação de cobrança de título extrajudicial movida pela Caixa Econômica Federal (CEF) contra a Arena Corinthians, relativa à dívida de cerca de R$ 536 milhões decorrente do financiamento da obra de construção do estádio. A decisão foi tomada no dia 5.

O Corinthians tem negociado com a Caixa uma maneira de suavizar as prestações da dívida relativa ao financiamento. Segundo apurou o Estado, em janeiro, o clube tenta reduzir os valores e ampliar o prazo final, que terminaria em 2028.

Documento

Documento

A Arena, localizada na zona Leste de São Paulo, é a sede do Corinthians e foi palco da abertura da Copa/2014.

Essa foi a terceira vez que a Justiça atendeu ao pedido das partes para suspender o andamento do processo.

Em outubro do ano passado, a Arena Itaquera apresentou embargos com pedido de tutela de urgência para suspender os atos de execução. Na ocasião, a empresa ofereceu a penhora de quotas de um fundo de investimento imobiliário, alienadas fiduciariamente à CEF. A audiência de conciliação que estava agendada para o dia 29 de outubro acabou sendo cancelada e o processo suspenso por 30 dias.

Posteriormente, considerando que as partes estavam em tratativas de um acordo, Victorio Neto acatou em dezembro de 2019 a mais um pedido para suspensão do processo por outros dois meses.

Agora, em fevereiro, o magistrado atendeu novo pedido.

“Defiro a suspensão dos autos pelo prazo complementar de 60 dias em razão das tratativas com vistas à composição amigável entre as partes”, afirmou o juiz.

Tudo o que sabemos sobre:

Caixa Econômica FederalCorinthians

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.