A portaria de Toffoli que mira o ‘mau uso’ das redes pela toga

A portaria de Toffoli que mira o ‘mau uso’ das redes pela toga

Presidente do Conselho Nacional de Justiça editou a Portaria 69/2019, que criou grupo de trabalho para discutir o uso das redes sociais para magistrados

Redação

06 de maio de 2019 | 14h37

Reprodução

O presidente do Conselho Nacional de Justiça, Dias Toffoli, editou a Portaria 69/2019, que criou grupo de trabalho para discutir o uso das redes sociais para magistrados. Foram escolhidos sete integrantes que vão compor o colegiado.

Documento

Toffoli levou em consideração que o ‘mau uso das redes sociais pode impactar a percepção da sociedade em relação à integridade do Poder Judiciário, causando máculas à prestação jurisdicional’, e a ‘necessidade de conciliar a liberdade de expressão e a presença dos magistrados nas redes sociais com a preservação da imagem institucional do Poder Judiciário’.

O Grupo de Trabalho poderá contar com o auxílio das unidades do CNJ, mediante solicitação formal”, definiu.

Segundo a Portaria, o ‘Grupo de Trabalho encerrará suas atividades com a apresentação de relatório e propostas à Comissão Permanente de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas, no prazo de 30 (trinta) dias’.

Tendências: