‘A Polícia Federal não se presta a servir a este ou aquele governante’, dizem delegados federais com mandato na Câmara

‘A Polícia Federal não se presta a servir a este ou aquele governante’, dizem delegados federais com mandato na Câmara

Em meio ao fogo cruzado entre o ex-ministro Sérgio Moro e Bolsonaro, deputados federais que são delegados de carreira da PF defendem autonomia da corporação e apresentam PEC por lista tríplice para diretor-geral

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

25 de abril de 2020 | 19h13

Um dos ingredientes que azedou a conversa entre Bolsonaro e Moro foi justamente a insistência do presidente em fazer alterações no comando da PF. Foto: Carolina Antunes/PR

Em meio ao fogo cruzado entre o ex-ministro Sérgio Moro e Bolsonaro, deputados federais que são delegados de carreira da PF defendem autonomia da corporação e apresentam PEC por lista tríplice para diretor-geral. “A Polícia Federal é instituição republicana! Não se presta a servir a este ou aquele governante, mas à nação brasileira”, afirmam.

LEIA A NOTA:

NOTA PÚBLICA

Os Delegados de Polícia Federal subscritores, no transitório exercício da função de Deputados Federais, em razão dos acontecimentos recentes envolvendo o Senhor Presidente da República e o então Ministro da Justiça Sérgio Moro, vêm, por meio desta, manifestar-se nos objetivos termos seguintes:

1. A Polícia Federal é instituição republicana! Não se presta a servir a este ou aquele governante, mas à nação brasileira;

2. Defendemos a autonomia da Polícia Federal, o que só será possível com a aprovação da PEC 412/09, ainda dormitando no Congresso Nacional;

3. Apresentamos outra Proposta de Emenda à Constituição com o objetivo de garantir que o Diretor-Geral da PF seja escolhido dentre os indicados em lista tríplice, votada pelos Delegados de Policia Federal que estejam em atividade, a fim de que cumpra mandato de três anos, sendo vedada a recondução;

4. A Polícia Federal brasileira ainda não possui uma lei orgânica!

5. Entendemos que a classe política que preza pelo fortalecimento das instituições de Estado, sem olvidar da pandemia que assusta todo o planeta, deve aprovar medidas legislativas urgentes e que fortaleçam cada vez mais a PF, como as acima declinadas;

6. Os governantes passam! As instituições permanecem! As ações perenizam os propósitos dos homens e mulheres de bem de nossa república.

Brasília, 25 de abril de 2020.

Delegado Marcelo Freitas
Deputado Federal/MG

Delegado Felício Laterça
Deputado Federal/RJ

Delegado Pablo Oliva
Deputado Federal/AM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.