‘A nós cabe falar, nunca silenciar’

‘A nós cabe falar, nunca silenciar’

Maria das Graças Perera de Mello*

04 de novembro de 2021 | 16h25

Maria das Graças Perera de Mello. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

                                                                                           “A nós cabe falar, nunca
silenciar
O silêncio é uma opção política.”
Dora Cavalcanti.

Eleições da OABSP – 2021. Estamos em plena campanha e como toda campanha, existem regras a serem seguidas. Ainda mais quando se trata da Advocacia onde deverão ser eleitos aqueles candidatos/as que irão representar um contingente de, praticamente, 400 mil advogados/as inscritos/as, como é o caso do Estado de São Paulo.

Sabem todos que a conduta do/a advogado/a tem alicerces firmados na ética, na honestidade, no decoro, na dignidade e respeito e no cuidado de sua reputação pessoal e profissional. Por óbvio, tudo isso é indispensável também quando se trata de disputa nas eleições da instituição – OAB. Falamos pois, das mencionadas eleições no Estado de São Paulo.

A nós mulheres, advogadas e diversas, exigimos reconhecimento e igualdade de participação. Após lutas incessantes ao longo do tempo, conquistamos a paridade de gênero e cota racial de 30% na formação de chapas ,determinando que de agora em diante a representação será equânime e o reconhecimento da Advocacia Negra está determinado. Sim, chegamos pra valer, pra falar e participar dos rumos e objetivos que a OABSP há muito deveria ter abraçado.  Razão pela qual essa eleição é histórica.

Poder-se-ia fazer uma retrospectiva e voltarmos ao final da década de 1980, mais precisamente no ano de 1987 quando foi criada a Comissão da Mulher Advogada, capitaneada pela advogada Norma Kyriakos que era secretária-geral da OABSP, a quem rendo homenagens.

A partir dessa conquista, os sonhos que foram sonhados ao longo desses últimos 40 anos eram e são a igualdade de gênero e raça, a pluralidade na participação das advogadas em todos os níveis de poder e decisão dentro da Instituição da OABSP. Pode-se dizer agora que sonhos que são sonhados em coletividade podem e devem tornar-se realidade.

Temos no país inteiro, em várias seccionais, candidatas a presidência da OAB local. Aqui em São Paulo, com muita coragem e determinação, duas mulheres assumem a liderança da Chapa 20 tendo na Presidência a advogada DORA CAVALCANTI e a advogada LÁZARA CARVALHO, na vice-presidência.

Dora e Zara, advogadas competentes, preparadas, valentes, com currículo que demonstra a que vieram. São mulheres que se complementam no entendimento dos rumos que devem ser assumidos pela Instituição a começar pelo modo de fazer política de ordem, transparente, direta e reta, com dignidade e leveza na defesa da Advocacia, dos direitos humanos, das prerrogativas profissionais, da cidadania, da justiça, do Estado Democrático de Direito e da sociedade como um todo.

Para tanto, é necessário que essa prática se inicie também internamente, onde a OABSP professe e pratique relações e decisões democráticas onde TODAS AS VOZES sejam ouvidas e levadas a efeito. O centralismo na tomada de decisões não mais deve ocorrer. As violências, sobretudo machistas e racistas, não mais serão aceitas ou colocadas no esquecimento. Aqui repito a máxima: MEXEU COM UMA, MEXEU COM TODAS. Que haja efetivamente na concretização da pluralidade na participação de todas, todos e todes. Que pautas transformadoras como são as de equidade de gênero, a questão racial, a lgbtqia+fobia, sejam enfrentadas com firmeza e dignidade, posto que estamos todas, todes e todos juntos. Que se busque incentivar a escuta para que as vozes silenciadas e apagadas estruturalmente na Instituição possam falar em alto e bom som, sem interrupção e prejulgamento. Que as diferenças sejam observadas e as desigualdades combatidas. E que nossos aliados e aliadas exerçam ativamente o anti-machismo e o anti-racismo.

Dora e Zara representam toda essa possibilidade tanto na profissão como na vida. A participação dessas duas mulheres na conquista da paridade de gênero e da cota racial de no mínimo 30% foi determinante. Sim, elas lutaram muito para que essa luta fosse vitoriosa. Lutaram com várias outras advogadas igualmente valentes e guerreiras. Dora e Zara nos representam. É disso que se trata. É sobre isso o comprometimento e responsabilidade de toda a diretoria da Chapa 20, de todo o seu Conselho Seccional e da diretoria da CAASP.

Por isso, o voto é precioso, necessário e nos remete ao exercício da cidadania. Vote como uma Advogada. Vote como um Advogado.

#DORA&ZARA

#aoabtáON

#TODASAS VOZES

*Maria das Graças Perera de Mello, ex-presidente da Comissão da Mulher da OAB-SP

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoOAB [Ordem dos Advogados do Brasil]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.