A importância da multidisciplinaridade no Direito

A importância da multidisciplinaridade no Direito

Tito Andrade*

06 de outubro de 2020 | 07h00

Tito Andrade. FOTO: DIVULGAÇÃO

Hoje, mais do que nunca, precisamos estar atentos às necessidades do mercado, principalmente no que se refere aos serviços profissionais. Os escritórios de advocacia e os advogados precisaram se reinventar para suprir as novas tendências e demandas que surgiram, para expandir sua atuação, tendo como perspectiva os interesses e os complexos desafios trazidos pelos clientes. O ambiente de negócios, cada vez mais dinâmico, faz com que os advogados precisem estar preparados e capacitados para desenvolver novos tipos de habilidades, com soluções que não se limitem à prática tradicional do Direito.

Assim como em outras áreas, também vivemos no âmbito jurídico um momento em que se mostra cada vez mais importante contar com profissionais que, além do conhecimento multidisciplinar legal, também entendam as características dos negócios de seus clientes, para que possam contribuir de maneira mais relevante na solução das questões e dos problemas que se colocam. Essa tendência de mercado valoriza a ampla especialização, com profissionais capazes de entender o negócio do cliente como um todo e, por isso, com condições de fazer uma análise específica de seus problemas e oferecer melhores e certeiras soluções para cada caso.

De fato, é uma verdadeira mudança de paradigma. A necessidade de conhecimentos multidisciplinares é o grande desafio do mercado jurídico atual, e vai muito além do conhecimento de leis, jurisprudências e doutrina. Hoje, conhecer o Direito é condição mínima, mas não suficiente para um atendimento pleno. Precisamos combinar o conhecimento técnico específico com características de atendimento modernas, como a personalização do serviço, proximidade com o cliente e conhecimentos especializados e multiáreas, como administração e economia, por exemplo, além de entender a especificidade da operação do cliente. É esse mix de habilidades e competências que será o diferencial para garantir uma evolução no mercado, bem como gerar valor para o negócio.

É inegável que o número de profissionais t-shaped vem crescendo exponencialmente nos últimos anos. O conceito foi popularizado por Tim Brown, CEO da empresa de design Ideo, para caracterizar profissionais que possuem uma ou duas especialidades, mas que conseguem atuar de forma generalista em vários assuntos. De uma forma bem resumida, o profissional t-shaped é alguém que, além de especialista, também é multidisciplinar.

As exigências do mercado, hoje, são outras, e os profissionais precisam estar aptos para atendê-las. O conceito do bom advogado mudou, e hoje ele precisa ser multifacetado e ir além do Direito em si. Neste mundo globalizado, o advogado moderno precisa ter domínio de diversos assuntos, mentalidade empreendedora, visão estratégica e fugir dos dogmas do tradicionalismo e do conservadorismo que caracterizavam o exercício da profissão no passado.

*Tito Andrade é sócio-administrador do Machado Meyer Advogados e especialista em Direito da Concorrência. É graduado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e mestre em Direito pela London School of Economics, de Londres

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.