A decisão que manda Geddel para casa

A decisão que manda Geddel para casa

Desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, dá 48 horas para Polícia Federal instalar tornozeleira eletrônica no ex-ministro do governo Temer

Fábio Serapião, de Brasília, e Luiz Vassallo

13 de julho de 2017 | 18h25

O desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região (TRF1), deu prazo de 48 horas para a Polícia Federal instalar tornozeleira eletrônica no ex-ministro Geddel Vieira Lima.

O ex-ministro foi preso sob suspeita de pressionar a mulher do doleiro Lúcio Funaro para evitar uma eventual delação premiada. Geddel estava na Papuda. Nesta quarta-feira, 12, Bello mandou transferir o ex-ministro para regime domiciliar, com tornozeleira. Mas a peça de monitoramento está em falta no Distrito Federal.

Nesta quinta-feira, 13, o desembargador manteve a ordem de remoção de Geddel para casa, em Salvador – e mandou a Polícia Federal na Bahia providenciar a tornozeleira.

Tendências: