A decisão do desembargador que negou soltar Cabral

A decisão do desembargador que negou soltar Cabral

Ex-governador do Rio foi preso na Operação Calicute, da Polícia Federal, suspeito de chefiar uma organização criminosa que, segundo o juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio, 'saqueou' o Estado durante sete anos (2007-2014)

Redação

21 de novembro de 2016 | 17h09

IMG-20161118-WA0001

O desembargador Abel Gomes, da 1ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região negou nesta segunda-feira, 21, o habeas corpus do advogado Jorge Beja que pedia a soltura do ex-governador do Rio Sérgio Cabral Filho (PMDB). O advogado não está entre os constituídos por Cabral, e entrou com o pedido em seu favor nesta tarde.

Cabral foi preso na Operação Calicute, da Polícia Federal, suspeito de chefiar uma organização criminosa que, segundo o juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio, “saqueou” o Estado durante sete anos (2007-2014), período em que esteve à frente do governo. Os crimes são pertencimento a organização criminosa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, cartel e fraude em licitação e somam pelo menos 50 anos de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:

Operação CalicuteSérgio CabralPMDB

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.