A decisão de Teori que negou as prisões para Renan e Jucá e tornozeleira para Sarney

A decisão de Teori que negou as prisões para Renan e Jucá e tornozeleira para Sarney

Veja os argumentos do relator da Lava Jato no Supremo que negou as medidas contra a cúpula do PMDB

Redação

14 de junho de 2016 | 19h55

ADWE374 BSB - 09/03/2016 - STF / JUSTIÇA - POLITICA - Ministro Teori Zavascki na sessão do STF que julga uma ação do PPS que pede a anulação da posse do novo ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva. O argumento do PPS é de que a legislação não permite que um membro do Ministério Público assuma um cargo no governo. Sessão no plenário do STF, em Brasilia. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADAO

Teori Zavascki. Foto: ANDRE DUSEK/ESTADÃO

Nesta terça-feira, 14, o ministro relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki negou o pedido do procurador-geral da República Rodrigo Janot para prender preventivamente o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Romero Jucá (PMDB) e botar em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica o ex-presidente José Sarney (PMDB) por terem tentado obstruir as investigações da Lava Jato.

Documento

 

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoPMDBTeori Zavascki

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: