A decisão de Gilmar Mendes que autoriza nova investigação contra Aécio

A decisão de Gilmar Mendes que autoriza nova investigação contra Aécio

Presidente do PSDB é alvo de segundo inquérito, desta vez por suspeita de atuar para maquias dados do Banco Rural e proteger os envolvidos no mensalão do PSDB

Isadora Peron, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

06 de junho de 2016 | 20h56

gilmarmendesaecio2

Nesta segunda-feira, 6, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes determinou a abertura do segundo inquérito contra o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, por suspeita de atuar para maquiar os dados do Banco Rural na CPI dos Correios, presidida pelo ex-senador e delator Delcídio Amaral, para proteger os envolvidos no escândalo do mensalão do PSDB em Minas Gerais.

Além dele, também entram na mira da Procuradoria-Geral da República neste episódio o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), o ex-vice governador de Minas Gerais Clésio Andrade, já réu em outra denúncia do mensalão “mineiro” envolvendo a campanha à reeleição de Eduardo Azeredo, em 1998, e o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB).

Aécio já é investigado em outro inquérito no Supremo por suspeita de receber propinas em um esquema de corrupção na estatal de energia Furnas.

Documento

Tudo o que sabemos sobre:

Aécio NevesMensalãoPSDB

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: