A decisão de Fachin que deu mais cinco dias para a PF investigar Temer

A decisão de Fachin que deu mais cinco dias para a PF investigar Temer

Ministro do Supremo Tribunal Federal prorrogou prazo para conclusão do inquérito que também alcança o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), flagrado com uma mala de propina da JBS

Redação

13 de junho de 2017 | 11h36

Michel Temer e Rodrigo Rocha Loures. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, concedeu mais cinco dias de prazo para a conclusão de investigações no Inquérito 4483, no qual são investigados o presidente da República, Michel Temer, e o ex-deputado federal Rocha Loures (PMDB-PR). A decisão atendeu a pedido feito pela Polícia Federal.

Documento

Na mesma decisão, o ministro determinou a manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre pedido feito pela defesa do presidente Michel Temer, no qual requer o arquivamento do inquérito. Para esta manifestação, determinou igualmente o prazo de cinco dias.

+ Temer não responde à PF de novo, pede arquivamento de inquérito e afirma que sofre ‘abusos e agressões’

+ Temer diz a Fachin que vai construir a ‘nação dos nossos sonhos’

No pedido, a defesa do presidente alega que faltam à acusação elementos probatórios mínimos para fundamentar a propositura de uma denúncia, e requer a remessa dos autos à PGR para que promova o arquivamento do inquérito.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava JatoMichel Temer