A comunicação digital deixou empresas e clientes ainda mais próximos

A comunicação digital deixou empresas e clientes ainda mais próximos

Marcus de Barros Pinto*

14 de outubro de 2020 | 02h00

Marcus de Barros Pinto. FOTO: DIVULGAÇÃO

A comunicação mudou e tem mudado cada vez mais com o advento da pandemia, causada pelo novo Coronavírus. O distanciamento social, tão recomendado pelas autoridades de saúde, apresentou alguns desafios em áreas-chaves das empresas, como o atendimento ao cliente. A questão que perdura é como expandir a humanização e a interação sem deixar de lado a automação. As redes sociais deram força para as marcas e os meios digitais se tornaram parte fundamental neste processo, transformando a maneira como se posicionam e querem ser reconhecidas.

A comunicação digital ampliou as transformações na forma de comunicar e traçou o caminho para esta nova realidade, no qual o diálogo é simultâneo, porém à distância. Nossas redes sociais registraram aumento de 40% no número de seguidores, ocasionado, principalmente, pelos novos canais interativos, pela qualidade e relevância dos conteúdos publicados. Ampliamos os serviços digitais e decidimos ir além da prestação de serviço e comunicamos de forma estratégica, focada no comportamento e nos interesses do nosso público. A segurança e prevenção com a rede elétrica dentro e fora de casa permeiam nossos discursos em todos os âmbitos e neste novo cenário não foi diferente.

O profundo conhecimento que temos dos nossos públicos, sobretudo, os nossos clientes foi determinante na definição das nossas ações. Destaco aqui a realização de shows com transmissão ao vivo de grandes artistas. Durante o período das festas juninas, idealizamos uma ação inédita para o primeiro show da cantora Elba Ramalho com este mote. Tivemos a ideia de aproveitar o grande público e dar dicas de segurança para prevenir acidentes elétricos, com lançamento da Dona Neia, nossa porta-voz do tema. A ideia é sempre transmitir clareza e utilizar a linguagem direta com os stakeholders ao falar do assunto. O engajamento foi um sucesso, com 19 milhões de impressões e cerca de 400 mil visualizações, demonstrando a assertividade da estratégia.

Com métricas expressivas na live anterior, realizamos uma nova parceria, desta vez com o cantor Péricles, para homenagear todos os profissionais do setor, em especial os que atuam em campo nos serviços essenciais, que permaneceram nas ruas para garantir a manutenção e qualidade dos serviços, e celebrar o aniversário de 23 anos da companhia. Em sinergia com nossa narrativa, abordamos novamente o assunto segurança, que é fundamental para nós, priorizando os cuidados necessários para clientes e colaboradores. Os resultados foram ainda melhores, chegando a 637 mil visualizações.

O que ouvimos é que a Covid-19 acelerou o futuro, o que estava previsto foi antecipado ou aconteceu em um período mais curto. Ferramentas, tecnologias, migração para o digital, tudo isso se desenvolveu ainda mais rápido. Aprendemos a nos adaptar e usufruir da tecnologia no nosso dia a dia e o futuro da comunicação é essencialmente digital. O que se mantém é o peso da informação relevante e o conteúdo que extrapola a prestação de serviço pura e simples. Além disso, acredito que a maneira como as empresas se comunicam e o que comunicam fará a diferença, pois a proximidade e a interação entre empresas e clientes aumentou e permanecerá no período pós-covid-19. Haverá uma cobrança maior por transparência e com a visão que compartilham do futuro. O desejo de um caminho mais sustentável, de um mundo que precisa ser mais cuidado estará em voga para a sociedade. Esta não é uma opção, é uma necessidade.

*Marcus de Barros Pinto, superintendente de Comunicação Externa da Neoenergia

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.