A cartada decisiva de Dilma

A cartada decisiva de Dilma

Defesa da presidente afastada entregou nesta quinta-feira, 28, as alegações finais no processo de impeachment em tramitação no Senado

Mateus Coutinho, Julia Affonso e Fausto Macedo

29 de julho de 2016 | 10h27

F61U3248.jpg PLANALTO1 BSB DF 04 05 2016 NACIONAL DILMA ROUSSEFF/PLANO SAFRA A presidente Dilma Rousseff discursa durante Cerimonia de Lançamento do Plano Agricola e Pecuario 2016/2017. no Palacio do Planalto FOTO:DIDA SAMPAIO/ESTADAO

A presidente afastada Dilma Rousseff. FOTO:DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Em 536 páginas, a defesa de Dilma Rousseff, liderada pelo ex-ministro José Eduardo Cardozo, encaminhou à Comissão do Impeachment todos os argumentos pelos quais questiona o processo de impeachment aberto contra ela em maio.

No documento, a palavra golpe é repetida 89 vezes e, apesar do caráter técnico dos argumentos que discutem o mérito do processo, a defesa reforçou a questão política e defendeu que a presidente sofre um processo antidemocrático e que os argumentos da acusação são “meros pretextos retóricos” para afastar a petista. A Comissão do Impeachment volta aos trabalhos no próximo dia 2 de agosto e a expectativa é de que a votação do processo no plenário do Senado ocorra no final do mês.

Confira a íntegra dos argumentos:

Tudo o que sabemos sobre:

Impeachment

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.