A carga de trabalho emocional para as mulheres durante a pandemia de covid-19

A carga de trabalho emocional para as mulheres durante a pandemia de covid-19

Jodi Kasten*

06 de março de 2021 | 08h00

Jodi Kasten. FOTO: DIVULGAÇÃO

Após pouco mais de um ano do início da pandemia de Covid-19, continuamos tentando nos ajustar a um novo modo de vida, que, além das medidas sanitárias, envolve trabalho e aulas remotas. Mas, esses ajustes podem fazer com que alguns grupos fiquem sobrecarregados com mais responsabilidades do que outros.

Trabalho emocional para mulheres
Trabalho emocional é o processo de gerenciar sentimentos para atender às exigências de um trabalho. De acordo com a socióloga Arlie Hochschild, que abordou o termo pela primeira vez, as pessoas em funções que requerem trabalho emocional são mais propensas a experienciar níveis mais altos de estresse e esgotamento. Além disso, existe uma grande diferença de gênero nos papéis que exigem trabalho emocional.

O trabalho doméstico já é uma sobrecarga conhecida para as mulheres. Uma pesquisa de 2018 do IBGE mostrou que as mulheres brasileiras dedicam 73% a mais de tempo com tarefas domésticas do que os homens. Mas, além da execução do trabalho em si, na maior parte das vezes as mulheres também acabam sendo responsáveis por todo o planejamento das atividades familiares. Elas também acabam gerenciando as emoções de seus filhos ou cônjuges em casa.

O trabalho emocional na esteira do coronavírus
Na pandemia, o esgotamento trazido pelo excesso de carga mental ficou ainda mais evidente para as mulheres que dividem a casa com um companheiro e que têm filhos. Diversas pesquisas mostram que as mulheres estão sendo mais afetadas pela ansiedade, estresse e esgotamento.

A pesquisa “Women’s Forum”, realizada pelo instituto Ipsos com entrevistados de países do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Japão, Itália e Reino Unido) revelou que, entre as mulheres, 59% disse estar com ansiedade, depressão e esgotamento. Entre os homens, a porcentagem foi de 46%. Além disso, 46% das mulheres também dizem sentir que ninguém as ajuda. Entre os homens, 39% tiveram essa percepção.

Descobrir, por exemplo, o que fazer com as crianças enquanto estão em casa e quem irá acompanhar as aulas remotas é uma carga emocional que pode ser colocada involuntariamente sobre as mulheres quando têm que tomar essas decisões familiares, mesmo que os parceiros trabalhem ativamente para compartilhar as responsabilidades domésticas.

Aliviando parte da carga de trabalho emocional
Embora não haja uma única resposta para eliminar completamente o trabalho emocional, parte da carga pode ser aliviada para reduzir o estresse e permitir que as famílias convivam da melhor maneira possível durante este período difícil.

1- Redistribua responsabilidades

Se você divide a casa com um parceiro, converse sobre como partilhar as tarefas que você está assumindo na pandemia. Identifique as tarefas que seu parceiro poderia fazer para ajudar a equilibrar o fardo em conjunto. Isso pode envolver o planejamento de atividades para as crianças, as compras do mercado e o planejamento das refeições.

Você também pode estabelecer turnos de silêncio para que cada um se concentre no trabalho. Enquanto esta ação em si é um trabalho emocional, verbalizar suas necessidades pode ajudar seu parceiro a entender o trabalho subvalorizado e despercebido que você realiza diariamente.

2 – Seja paciente consigo mesma

Está tudo bem não ser sua versão mais produtiva neste momento e também que seus filhos não sejam suas versões mais produtivas. Tente ser gentil se precisar flexibilizar as regras sobre o tempo de tela, por exemplo, se isso significar ter a casa em silêncio por algumas horas para terminar um trabalho.

3 – Faça pausas

Faça pausas frequentes do trabalho e também da família quando necessário. Isso pode significar sair para respirar, tomar um café sozinha no quarto ou fazer uma aula de yoga online.

4 – Estabeleça e mantenha limites

Evite o esgotamento e outros efeitos negativos do trabalho emocional estabelecendo e mantendo limites em tempos de crise. Isso será diferente para cada família, mas pode ser útil que todos na casa (que possam) estabeleçam seus próprios limites e criem um ambiente mais harmonioso.

*Jodi Kasten, diretora de Vendas do Indeed para o Canadá e LATAM

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoDia Internacional da Mulher

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.