A caminho da prisão na Itália, Battisti ainda tenta habeas no STF

A caminho da prisão na Itália, Battisti ainda tenta habeas no STF

No documento, os advogados pedem que o HC seja analisado com urgência pelo ministro Marco Aurélio Melo uma vez que o envio para Itália pode ser uma medida irreversível

Fausto Macedo e Fabio Serapião

13 Janeiro 2019 | 17h17

Os advogados de Cesare Battisti protocolaram um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) neste domingo, 13, para tentar evitar o envio do italiano para seu país de origem.

Battisti foi preso na noite de ontem em Santa Cruz de La Sierra e, de acordo com informações do premiê italiano Giuseppe Conte, deve seguir para Itália onde foi condenado à prisão perpétua.

Documento

Os advogados argumentam que a iminente entrega de Battisti á Itália é um “ato complexo” e irreversível. “Destaca-se que o risco aventado é evidentemente irreversível, haja vista que o ato administrativo de entrega do Paciente a país estrangeiro não é passível de posterior revisão, devendo a cautela ser adotada, invariavelmente, neste momento”, diz o pedido.

Cenários de disfarce que poderiam ser utilizados por Cesare Battisti, segundo a Polícia Federal. Foto: Polícia Federal / Reprodução

Os defensores ainda citam que o italiano tem um filho brasileiro que é dependente economicamente.

“O paciente constituiu família e teve filho após a estabilização de sua situação jurídica no país, de forma que não houve análise pelo C. Supremo Tribunal Federal acerca desta circunstância”. diz o pedido de HC.

No documento, os advogados pedem que o HC seja analisado com urgência pelo ministro Marco Aurélio Melo. “O perigo da demora é inegável, em razão da iminência de que o paciente seja retirado do país a qualquer momento, pois que notícias apontam que já está operacionalizando para tanto”, diz o pedido.