7 estratégias para lidar com o medo e superar momentos difíceis

7 estratégias para lidar com o medo e superar momentos difíceis

Patrícia Santos*

11 de outubro de 2020 | 03h00

Patrícia Santos. FOTO: DAYSE PAIXÃO

A pandemia acabou afetando todas as áreas da nossa vida. Além da tensão em nos mantermos seguros, proteger nossos entes queridos, reduzir a disseminação da covid-19 e manter a saúde financeira, também se tornou importante darmos atenção às respostas emocionais da pandemia. Lidar com o medo, enfrentando o aumento dos níveis de ansiedade e estresse, que impactam na saúde física e mental, é um desafio, já que essa emoção forte pode suprimir a função imunológica. O medo nada mais é do que uma resposta natural a tudo aquilo que não entendemos e que ameaça nossa segurança e saúde.

O medo influencia nosso comportamento e, quando saudável, serve para nos proteger. Mas, se nocivo, paralisa nossas ações e prejudica a tomada de decisão, acabando por nos fazer escolher soluções de curto prazo com consequências de longo prazo, já que não ativamos o pré-frontal, e deixamos de pensar de maneira racional e tranquila.

Muitas vezes, acabamos contaminados emocionalmente pelo medo dos outros. Ver outras pessoas em pânico incentiva a fazer o mesmo e, como somos seres sociais, entramos em conformidade, em um estado de comoção social. Não falar sobre o problema, não querer ter informações atualizadas a respeito, não reduz o medo. Pode, inclusive, fazê-lo aparecer muito mais forte depois.

Do mesmo modo, minimizar e desprezar o problema também não resolve. Muitas pessoas que passam por algum tipo de sofrimento tentam escapar de suas emoções desagradáveis, negando o que está acontecendo, se convencendo de que não existe risco e deixando de tomar precauções. Tais atitudes podem prejudicar não só a si mesmo, mas também todo seu circulo de convivência.

A boa noticia é que existem algumas estratégias que reduzem o estresse e a ansiedade, de forma a minimizar os impactos do medo, e que funcionam de forma rápida e eficiente, ajudando a regular suas emoções, são elas:

  • Procurar reduzir a sensação de medo, não eliminá-la;
  • Fazer algumas respirações profundas. A respiração ritmada promove uma sensação de tranquilidade;
  • Ouvir músicas calmas ou aquelas que te dão energia, as famosas baladas;
  • A melhor maneira de voltar ao controle, é fazer atividades que te deixem feliz, seja assistir a um filme, série ou até mesmo cozinhar;
  • Estar ciente do que desencadeou essa sensação de medo;
  • Conhecer seus gatilhos, o que dispara pensamentos que geram preocupação, medo e a ansiedade.
  • Praticar o mindfullness: percebendo pensamentos, sensações corporais e emoções no momento em que ocorrem, sem reagir de maneira automática ou habitual.

As interpretações aos eventos sobrecarregam a intensidade de nossas emoções.Faça perguntas questionando seus pensamentos, levante os fatos, aprenda a ver com mais clareza, sem interpretação ou julgamento, não tire conclusões precipitadas. Pare um momento para observar: o que estou pensando?; este pensamento está relacionado a preocupações futuras ou a um problema do passado?; estão trazendo paz e solução?; são úteis?

Por fim, uma vez que você tenha seu próprio medo sob controle, pode ser útil apoiar outras pessoas queridas, se esses estiverem ansiosos. Reconheça a emoção, não tente animar com um “já já passa”, “anime-se”. Não vai funcionar. Faça perguntas para ativar a consciência, e use algumas das técnicas citadas, aquela que fizer mais sentido para a pessoa. Ao praticar o gerenciamento de suas emoções, você experimentará uma sensação única de liberdade e equilíbrio.

*Patrícia Santos, palestrante, escritora e especialista em Gerenciamento da Raiva

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.