Delator diz que Youssef falou em pagamento de R$ 200 mil a Randolfe

Delator diz que Youssef falou em pagamento de R$ 200 mil a Randolfe

Carlos Alexandre de Souza Rocha disse que doleiro da Lava Jato relacionou suposto pagamento ao senador do Rede do Amapá ao 'controle' de movimento no Congresso para criação de uma CPI da Petrobrás

Beatriz Bulla, de Brasília

30 de dezembro de 2015 | 18h34

Senador Randolfe Rodrigues

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Em delação premiada, Carlos Alexandre de Souza Rocha, um dos entregadores de dinheiro de Alberto Youssef, disse que o doleiro mencionou um pagamento de R$ 200 mil ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). De acordo com o delator, entre 2012 e 2013, percebeu preocupação de Youssef com relação a uma movimentação no Congresso para criação de uma CPI da Petrobras e o doleiro afirmou que estava “controlando o problema”. O “controle” da situação passaria, segundo o delator, pelo pagamento de propina.

“Ceará, todo mundo come bola!”, disse Youssef ao entregador de dinheiro, segundo ele. Na conversa, o entregador de dinheiro disse, então, que “achava que havia gente séria no Congresso” e mencionou o senador Randolfe Rodrigues. Na sequência, Youssef teria respondido, segundo o delator: “Para esse aí já foram pagos R$ 200 mil”.

“Que o declarante, surpreso, perguntou a Alberto Youssef: ‘Você tem certeza? Aquele do ‘oclinho’, do PSOL?’; Que Youssef respondeu: ‘Absoluta, Ceará’”; consta na delação de Rocha, em referência ao partido anterior do senador. O delator disse não saber se o valor foi efetivamente pago ao senador e afirmou que nunca entregou dinheiro para o político.

COM A PALAVRA, SENADOR RANDOLFE

“A declaração dada pelo delator Carlos Alexandre Rocha, de que teria ouvido de seu chefe, o doleiro Alberto Youssef, que o Senador Randolfe recebeu recursos da UTC Engenharia é falsa, descabida, caluniosa e irresponsável. O próprio Alberto Youssef jamais trouxe, nas dezenas de vezes que depôs à Polícia Federal, qualquer menção ao nome de Randolfe. O Senador Randolfe jamais teve qualquer contato com os envolvidos e o próprio delator afirma, em mesmo depoimento, que “não sabe se esse valor foi efetivamente pago”, que “nunca entregou  dinheiro para Randolfe nem o viu”.O Senador Randolfe não medirá esforços para apurar a origem e a motivação de tais declarações, feitas e divulgadas justamente no período em que se destaca em ações de combate a corrupção e de apoio às investigações da operação Lava Jato. Vale lembrar que partiu de Randolfe e de seu partido, a Rede Sustentabilidade, a representação contra o senador Delcídio do Amaral no conselho de ética do Senado e contra o presidente da câmara, Eduardo Cunha junto ao Ministério Público Federal.Medidas judiciais serão tomadas para que se reparem os danos provocados à imagem e a honra de quem, desde o início de sua vida parlamentar, sempre lutou contra a corrupção.”

A
randolfe

 

randolfe 2

 

randolfe 3

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.