Cãozinho rouba a cena na missa

Cãozinho rouba a cena na missa

'Seliguedim' foi adotado pelo padre Irineu Neto Guedes Machado, da paróquia de Itacurubi, no Rio Grande do Sul

Pedro Prata

24 de janeiro de 2020 | 05h30

Um cãozinho roubou a cena numa missa de Itacurubi, município gaúcho de menos de 3,5 mil pessoas, ao deitar e rolar com a batina do padre. O vídeo já foi visto quase 180 mil vezes nas redes sociais.

O animalzinho é ‘Seliguedim’, um filhote de border collie de pouco mais de três meses. O pároco, Irineu Neto Guedes Machado, padre da Paróquia Santa Teresinha, o adotou.

‘Seliguedim’ foi presente de um conhecido. Seus cachorros deram ninhada, e ele estava procurando bons donos para eles.

“Ele me falou: ‘Você precisa de um cão que faça companhia, padre, às vezes vai para fora. E eles são muito dóceis e companheiros’.”

Uma coincidência selou a adoção. “Quando eu soube que ele nasceu em 8 de outubro, que é o aniversário da minha ordenação, falei: ‘Vou levar para casa’”, contou padre Irineu ao Estado.

O nome é uma homenagem a um outro cãozinho que ele teve. “Eu tinha adotado um outro cachorrinho. Quando me entregaram ele, me deram uma bolsa com um remédio chamado ‘seliquetim’. Só que eu não colocaria um nome de remédio, então coloquei um parecido. Ficou Seliguedim.”

Padre Irineu conta que o animalzinho é ‘muito companheiro’.

“Ele está nos meus pés agora, mordendo o cadarço do meu sapato”, disse por telefone durante a entrevista.

Vídeo

O pároco ressalta que, às vezes, precisa viajar até 74 km para atender fiéis, uma vez que a cidade possui grande extensão rural.

No dia do vídeo, Irineu voltou de uma dessas diligências.

“Ele (Seliguedim) estava brincando com os outros cachorros. Aí ouviu minha voz, e veio fazer aquela festa.”

Quando concluída a primeira parte dos ritos iniciais, o pároco pediu licença para levar o companheiro para casa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.