134 políticos com foro privilegiado estão na mira da Lava Jato

134 políticos com foro privilegiado estão na mira da Lava Jato

Deputados e senadores são alvo de investigações da Procuradoria-Geral da República no âmbito do Supremo Tribunal Federal

Fausto Macedo, Julia Affonso, Mateus Coutinho e Ricardo Brandt

05 de junho de 2016 | 06h00

 

Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

Cento e trinta e quatro políticos com foro privilegiado perante o Supremo Tribunal Federal (STF) estão sob investigação da Operação Lava Jato. A informação é da Procuradoria-Geral da República, que detém competência exclusiva para investigar deputados e senadores.

Segundo a Procuradoria, no âmbito do Supremo a Lava Jato já contabiliza 59 inquéritos e onze denúncias contra 38 acusados por corrupção, lavagem de dinheiro e outros crimes.

“Ao todo, 134 pessoas com foro no Supremo são investigadas pelo Grupo de Trabalho PGR”, destaca a Procuradoria.

[veja_tambem]

Os dados indicam que até aqui foram realizadas cinco prisões preventivas.

A Procuradoria-Geral já enviou 865 manifestações ao STF sobre o caso e pediu 118 buscas e apreensões.
Enquanto isso, a força-tarefa Lava Jato em Curitiba – primeiro grau judicial, sob tutela do juiz federal Sérgio Moro -, já promoveu 41 acusações criminais contra 207 pessoas.

Dezenove acusações já receberam sentença com condenação pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, organização criminosa e outros.

Até aqui, desde que a Lava Jato saiu às ruas, foram executadas 30 operações especiais que resultaram em 105 condenações impostas pelo juiz Moro, totalizando 1.133 anos, sete meses e 11 dias de pena para os acusados, entre empreiteiros, doleiros, operadores de propinas, ex-dirigentes da Petrobrás e políticos que não desfrutam do foro privilegiado.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoSTF

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: