10 dicas de como fazer compras seguras na Black Friday

10 dicas de como fazer compras seguras na Black Friday

Laura Tyrell*

17 de novembro de 2021 | 13h45

Laura Tyrell. FOTO: DIVULGAÇÃO

No próximo dia 26 de novembro está marcada a Black Friday, dia de grandes descontos nos varejos, restaurantes, supermercados e farmácias. A data é uma herança americana, que acontece sempre depois do Dia de Ação de Graças. Por aqui, os comerciantes antecipam e prolongam um pouco as ofertas.

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) a data tem crescido no varejo brasileiro. Ela estima que os e-commerces do país movimentem R$ 6,38 bilhões nas 24 horas da sexta-feira. Para que a Black Friday seja regada de vantagens e não de golpes, a segurança não pode ser deixada de lado. Confira 10 dicas para evitar fraudes nas compras online da ocasião:

  1. Compre apenas em sites HTTPS: O ‘S’ significa ‘seguro’, seus detalhes são cobertos pela criptografia TLS básica desde o seu navegador até o site em que você está comprando. Os sites HTTPS não são necessariamente superseguros, mas se o administrador teve o trabalho de implementar HTTPS para proteger seus dados, você sabe que ele realizou pelo menos uma etapa de segurança;
  2. Certifique-se de que você está visitando uma loja online legítima: antes de inserir qualquer informação pessoal para concluir sua compra, verifique se você está na loja online certa. Existem muitas oportunidades para hackers e golpistas redirecionarem você para o site errado ou, em outras palavras, falsificar o URL;
  3. Tenha cuidado com encurtadores de URL: quando você vir um anúncio com um encurtador de URL para uma grande oferta, considere navegar você mesmo até o site da marca, simplesmente usando a barra de endereço. Provavelmente, você encontrará a mesma oferta em seu site. Caso contrário, pode ser que o encurtador de URL que você viu esteja sendo usado por um golpista;
  4. Evite links de e-mail: eles geralmente oferecem descontos ou ofertas que são muito difíceis de resistir e podem incluir um URL falsificado, que o levará a uma página de pedido e tornará sua fraude ainda mais convincente;
  5. Nunca compre em redes Wi-Fi públicas; o Wi-Fi público é o lugar perfeito para golpistas e hackers fazerem seu trabalho. Essas redes apresentam baixa segurança e podem ser verificadas por hackers em busca de conexões fracas. Os computadores públicos também são altamente inseguros, mas existem maneiras de melhorar sua segurança.
  6. Monitore suas faturas de cartão de débito e crédito: pode parecer óbvio, mas você deve sempre manter o controle de suas compras e seus preços. Isso pode ajudá-lo a identificar possíveis hacks ou práticas comerciais desonestas para que você possa responder o mais rápido possível. Empresas legítimas podem exagerar seus descontos ou adicionar taxas ocultas que serão cobradas de você quando a compra for concluída.
  7. Considere usar um cartão de crédito virtual: ao vinculá-lo a um cartão de crédito ou débito real de sua propriedade, você pode fazer compras online sem nunca revelar as informações reais do cartão de crédito. Você também pode configurar seu cartão de crédito virtual para permitir compras apenas até um determinado valor ou para expirar após um determinado dia.
  8. Mantenha seu navegador atualizado: ele é o que leva você de uma loja online para outra. Portanto, é importante mantê-lo atualizado e atualizado com as melhores extensões de segurança e privacidade. Isso protegerá suas informações pessoais de vazamento.
  9. Pratique uma boa segurança de senha: uma boa segurança de senha é sempre importante, mas é fácil esquecer isso quando você está criando contas de compras para diferentes lojas online. Criar senhas únicas e seguras para cada site (e lembrá-las) pode ser uma tarefa difícil se você planeja fazer muitas compras, mas existem ferramentas que o ajudarão – gerenciadores de senhas.
  10. Quanto menos informações você der, melhor. Depois de concluir algumas compras em sites confiáveis, você começa a ter uma ideia de que tipo de dados eles legitimamente exigem, como número de cartão de crédito, endereço, dados pessoais. Alguns sites pedem informações adicionais para fins de marketing, mas não são obrigatórios.

E um último conselho: fique sempre atento. Se algo parece bom demais para ser verdade, provavelmente é uma farsa.

*Laura Tyrell é chefe de RP da NordVPN

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoBlack Friday

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.