Vídeos mostram processo normal de contagem de votos nos EUA, e não têm provas de manipulação
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vídeos mostram processo normal de contagem de votos nos EUA, e não têm provas de manipulação

Postagem que viralizou no Facebook acusa, sem evidências, fraude eleitoral na corrida presidencial americana

Alessandra Monnerat

06 de novembro de 2020 | 13h36

Um vídeo com mais de 35 mil compartilhamentos no Facebook apresenta duas gravações de contagem de votos nos Estados Unidos para argumentar que o presidente candidato à reeleição, Donald Trump, teria sido prejudicado na apuração. Na verdade, não há nenhuma evidência até o momento de fraude eleitoral nos EUA. Os dois vídeos mostrados na postagem apenas retratam o processo normal de contagem de votos em papel e não contêm nenhuma prova de manipulação.

Uma das gravações mostra a apuração de votos no estado de Maryland, onde o candidato democrata à presidência, Joe Biden, obteve 63,1% dos votos. O vídeo foi feito na região de Germantown e mostra o processo de revisão das cédulas, em que juízes eleitorais analisam os votos em papel para garantir que máquinas escaneadoras consigam processar os votos. A apuração das eleições no estado é transmitida ao vivo em um site do governo.

A Comissão de Eleições de Maryland esclareceu que há ocasiões em que os eleitores não preenchem a cédula com caneta preta, o que dificulta a leitura pela máquina. Dessa forma, as pessoas trabalhando na contagem podem reforçar as seleções do voto com canetas pretas. “Esta tem sido uma parte regular do processo de votação por muitos anos e é necessária para que a cédula eleitoral seja escaneada e assim contada”, informou o órgão eleitoral. “A Diretoria de Análise tem a obrigação de assegurar que cada cédula reflita a intenção do eleitor para garantir que cada voto conte”.

A Comissão de Eleições comunicou ter analisado o vídeo que circula nas redes sociais e disse não ter encontrado nenhuma evidência de fraude. “Entretanto, com o propósito de transparência e para assegurar aos eleitores que possam estar observando a transmissão da contagem a integridade do processo, no futuro, os avaliadores só reforçaram os votos nas cédulas enquanto são observadas por um Juiz Eleitoral de outro partido político”, informou o órgão de Maryland. 

O segundo vídeo apresentado na postagem viral do Facebook é da contagem de votos em Atlanta, na Geórgia. Biden ultrapassou Trump no estado no início da manhã desta sexta-feira, à medida em que cédulas de redutos democratas foram contabilizadas. Às 13 desta sexta-feira, o democrata lidera com uma pequena margem, de pouco mais de mil votos.

A gravação em questão também foi tirada de uma transmissão ao vivo de contagem de votos (abaixo). No vídeo, um funcionário gesticula em sua mesa de apuração. A narração afirma que ele está jogando fora votos para Trump, mas não é possível deduzir isso pela filmagem. O site de fact-checking americano Snopes.com também analisou o vídeo, que foi compartilhado pelo filho do presidente dos EUA Donald Trump Jr. A checagem destaca que nenhuma agência governamental apontou fraude na contagem de votos em Atlanta. 

Sem provas, alegações sobre fraude eleitoral nos EUA têm se espalhado pelas redes sociais brasileiras. Veja outras checagens do Estadão Verifica.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.