Vídeo que mostra Bolsonaro sendo ovacionado não foi feito na Rússia, e sim na Itália

Vídeo que mostra Bolsonaro sendo ovacionado não foi feito na Rússia, e sim na Itália

Gravação feita em 2021 circula fora de contexto para exaltar presidente

Jullie Pereira, especial para o Estadão

18 de fevereiro de 2022 | 10h10

Gravação que mostra o presidente Jair Bolsonaro (PL) sendo ovacionado por simpatizantes foi feita na Itália, e não na Rússia. Um vídeo em que ele é recebido por dezenas de pessoas que gritam seu nome, tentam tocá-lo e carregam bandeiras brasileiras está sendo compartilhado com a legenda “Bolsonaro na Rússia”, o que é falso. As imagens foram feitas em outubro de 2021, quando Bolsonaro visitou a cidade Anguillara Veneta, na Itália. O local foi onde seu bisavô, Vittorio Bolzonaro, nasceu.

A partir de uma busca pela gravação, foi possível encontrar outros vídeos do mesmo momento publicados pelo site Metrópole e pelo Canal Uol, no YouTube. As equipes de reportagens dos veículos acompanharam a visita e gravaram as cenas. É possível notar que são as mesmas pessoas nos vídeos, com roupas iguais e local idêntico.

Quando esteve na Itália, o presidente Bolsonaro dividiu opiniões. A prefeita da cidade de Anguillara Veneta, Alessandra Buoso, da Liga, um partido de extrema direita, concedeu a ele o título de Cidadão Honorário do município, o que gerou manifestações contra e a favor.  Bolsonaro também esteve na Itália para reunião com o presidente italiano, Sérgio Mattarella.

Na Rússia, Bolsonaro recentemente se reuniu com o presidente Vladimir Putin, com o vice-ministro de Relações Exteriores, Serguei Ryabkov, e com o diretor do Departamento de Protocolo Estatal, Igor Bogdashev.

Desde que o presidente chegou na Rússia, na terça-feira, 15 de fevereiro, outras mentiras e boatos começaram a se espalhar.  O Estadão Verifica desmentiu outro vídeo em que Putin teve seu discurso adulterado. Na tradução do vídeo, ele diz que Bolsonaro o convenceu a não atacar a Ucrânia, o que é mentira.

Aliados do presidente  compartilham imagens dizendo que Bolsonaro teria evitado uma 3º Guerra Mundial, sem deixar claro que as afirmações não são verdadeiras. Foi o caso do ex-ministro Ricardo Salles. Ele publicou uma foto afirmando que a CNN Brasil teria dado a notícia. A empresa publicou nota desmentindo o ex-ministro.

A Rússia e a Ucrânia estão em conflito há meses. Putin não aceita que a Ucrânia seja incluída na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Tudo o que sabemos sobre:

russiajair bolsonarofake news

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.