Vídeo fora de contexto é usado para espalhar desinformação sobre bebidas energéticas

Publicação com mais de 10 milhões de visualizações alega que homem que bebeu 24 latas de energético com álcool ficou com coração "inchado"; na verdade, trata-se de um trauma causado por fratura de costelas

Brenda Zacharias, especial para o Estado

27 de setembro de 2019 | 11h33

Um vídeo de 35 segundos mostra a agonia de um homem enquanto é atendido por uma equipe de hospital: a região de seu peito esquerdo, bastante vermelha, estufa e afunda ritmicamente quando ele se contorce e grita de dor. A publicação do Facebook analisada pelo Estadão Verifica, feita há dois anos e visualizada mais de 10 milhões de vezes, engana ao dizer que o paciente em questão teria ingerido 24 latas de energético com bebida alcoólica, levando o seu coração a “bombear” em ritmo tão forte.

Trata-se, na verdade, de um caso de trauma torácico ou tórax instável. Quem diz isso é o médico Fernando Arneiro Dantas, autor do post original, feito em 18 de junho de 2015. Ele gerenciava a página da Liga Acadêmica Trauma e Emergência (Latre), grupo da Faculdade de Medicina da Universidade Presidente Antônio Carlos de Juiz de Fora (MG), e recebeu de um colega o vídeo feito durante um atendimento no hospital Albert Schweitzer, no Rio de Janeiro. O conteúdo foi usado para ilustrar um trecho do programa de treinamento Suporte Avançado de Vida no Trauma, do Colégio Americano de Cirurgiões, que descreve a lesão.

Substância presente em energéticos, taurina não é tirada de sêmen ou urina do touro. Foto: Paulo Pinto / AE

O trauma torácico é causado pela fratura de duas ou mais costelas, explica o médico Celso Bernini, diretor do serviço de cirurgia de emergência do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Na respiração, o tórax expande com o esforço muscular. Com as costelas quebradas, a movimentação da caixa torácica fica mais instável, dificultando a respiração do acidentado. Segundo o médico, o caso fica ainda mais delicado quando o impacto é forte. “Tudo que está debaixo da costela pode ser lesionado, inclusive o pulmão”, diz ele.

O tratamento começa com a sedação do paciente e intubação da traqueia, para garantir que o acidentado continue a respirar. Depois disso, a costela deve ser recomposta — um processo que pode levar pelo menos 15 dias de internação. Este tipo de lesão é comum em acidentes de trânsito e em quedas de grandes alturas. No caso deste vídeo, é possível que o homem tenha caído com o lado esquerdo do corpo, o que teria causado as esfoliações no peito.

Mas isso não quer dizer que a ingestão de energético com álcool não tenha os seus riscos: em doses exageradas, pode levar a arritmia cardíaca, causada pelo consumo excessivo de cafeína no organismo, diz o cardiologista Ari Timerman.

Este vídeo, com legendas semelhantes, circula nas redes desde julho de 2015. Segundo indicado pelo site de fact-checking Snopes na época, o conteúdo foi associado a uma reportagem do jornal britânico The Guardian, de abril de 2015, que contava a história de uma mulher viciada em energéticos que foi curada com hipnose.

Uma consulta no Google Trends, ferramenta que indica as pesquisas mais feitas no buscador, sugere que a expressão “24 cans” (24 latas) teve o seu pico de busca em julho de 2015, com maior incidência no Reino Unido, Austrália e Estados Unidos.

Este vídeo foi checado por meio da parceria entre Estadão Verifica e Facebook. Para sugerir verificações, envie uma mensagem para (11) 99263-7900. 

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.