As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vídeo é tirado de contexto para exaltar Exército e espalhar desinformação sobre imigrantes

Imagens apresentadas como de operação contra "invasores do Brasil" são, na verdade, de uma reportagem de 2017 sobre combate a garimpo ilegal

Tiago Aguiar

25 de setembro de 2019 | 10h32

Não é verdade que o Exército Brasileiro tenha feito uma operação para prender “invasores do Brasil”. Imagens de uma ação militar que circulam de forma descontextualizada são de dois anos atrás, e mostram na verdade o desmonte de um garimpo ilegal em uma reserva indígena Yanomami em Roraima. O vídeo circula com legenda enganosa no Facebook

As imagens são de uma reportagem do Jornal da Band sobre parte de uma operação em que helicópteros do Exército chegam a uma região de Roraima com concentração de diversas atividades ilegais. O vídeo que começou a circular este mês em redes sociais não traz a data da exibição, mas a reportagem foi ao ar no dia 29 de setembro de 2017.

A região da operação é nas margens do Rio Uraricoera, próxima à fronteira do Brasil com a Venezuela, e não há informações no vídeo de que os presos sejam imigrantes. As ações mostradas fizeram parte da Operação Curaretinga, em que batalhões de Infantaria de Selva do Exército atuaram em conjunto com o Ibama por pelo menos três meses no segundo semestre de 2017

O conjunto das ações da Operação Curaretinga foi contra crimes ambientais, narcotráfico, contrabando e tráfico de armas e munições,  contrabando de veículos, imigração ilegal e garimpos clandestinos. 

Segundo o Instituto Socioambiental (ISA), o garimpo ilegal na região aumentou em 2019, depois que o Exército desativou as bases de proteção justamente nas margens dos Rios Uraricoera e Mucajaí, as principais entradas para a Terra Indígena Yanomami. Segundo o ISA, “nos três últimos anos, a presença do Exército foi fundamental para inibir a entrada de garimpeiros”, mas, “desde dezembro, com o abandono das bases, os garimpeiros retomaram a invasão em ritmo acelerado”.

Para verificar o contexto deste vídeo, o Estadão Verifica utilizou a busca avançada do Google, busca de vídeos no YouTube e consultou o site do Exército Brasileiro.

O vídeo já havia sido checado pelo Aos Fatos. Este boato foi selecionado para verificação por meio da parceria entre o Estadão Verifica e o Facebook. Para sugerir verificações, envie uma mensagem para (11) 99263-7900.

Tendências: