Vídeo de manifestação anti-máscaras na Espanha ganha legenda enganosa e é mostrado fora de contexto
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vídeo de manifestação anti-máscaras na Espanha ganha legenda enganosa e é mostrado fora de contexto

Publicações nas redes sociais omitem que gravação foi feita durante ato negacionista da covid-19 em Barcelona

Alessandra Monnerat

10 de setembro de 2020 | 15h58

Um vídeo gravado durante uma manifestação de negacionistas da pandemia de covid-19 em Barcelona, na Espanha, tem sido compartilhado fora de contexto nas redes sociais. A filmagem mostra uma confusão entre os participantes do protesto e agentes da Polícia da Catalunha. De acordo com jornais locais, os manifestantes gritavam por “liberdade” de uma possível vacina contra o novo coronavírus, reclamavam do uso obrigatório de máscaras e minimizavam o impacto da doença.

Nas redes sociais, a gravação foi compartilhada em publicações que afirmam que a população se uniu contra a prisão de uma mulher que não usava máscara — cujo uso é obrigatório na Espanha. Essas postagens omitem que o vídeo foi feito em meio a uma manifestação anti-máscaras, e não mostra uma reação espontânea à ação da polícia. 

No Facebook, a filmagem foi compartilhada com a seguinte legenda enganosa: “Na Espanha a polícia tentou prender uma senhora porque ela estava sem máscara. Veja o que aconteceu…O povo se juntou e tirou as máscaras também gritando liberdade… A polícia não tinha mais como fazer nada e se afastou…”

Assessor especial do presidente Jair Bolsonaro e irmão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, Arthur Weintraub também compartilhou o vídeo no Twitter. Ele republicou uma postagem do empresário americano John McAfee, que alegou que pessoas que passavam pelo local se uniram para evitar a prisão de uma mulher.

Pesquisando por palavras-chave em espanhol e em catalão, o Estadão Verifica conseguiu identificar reportagens e vídeos feitos no mesmo dia (23 de agosto), que ajudam a entender melhor o que ocorreu. 

O jornal El Punt Avui informou que cerca de 50 pessoas se reuniram na Avenida Catedral. A Guarda Urbana e a Polícia da Catalunha (Mossos) protocolaram 27 denúncias durante a reunião de negacionistas: 19 por desobediência, uma por desrespeito à autoridade, quatro por não usar máscara e três por mau uso do equipamento de proteção. 

De acordo com a TV pública catalã Betevé, os organizadores da manifestação não comunicaram a Câmara Municipal de Barcelona sobre a realização do evento. A Guarda Urbana pediu repetidamente que os participantes do protesto colocassem máscaras e respeitassem o distanciamento social. 

Segundo o El Punt Avui, a manifestação continuou mesmo depois de a polícia deixar o local.

A jornalista Olatz Simón também publicou dois vídeos do evento, que mostram os manifestantes gritando palavras de ordem contra o uso de máscaras e a polícia conversando com os organizadores do protesto.

O usuário do Twitter @MaxRoha divulgou uma gravação de outro ângulo da manifestação.

Este canal do YouTube filmou o protesto de forma que é possível ver a Catedral de Barcelona atrás dos manifestantes.

Alguns elementos permitem comprovar que esses vídeos foram feitos no mesmo dia e no mesmo local. Uma mulher ruiva usa blusa verde e calça laranja; outra mulher usa blusa lilás e saia branca ao lado de um homem de camisa azul. Também é possível ver cartazes no chão.

No vídeo analisado pelo Estadão Verifica, pode-se ver a mesma mulher de blusa verde e calça laranja no meio da confusão com a polícia. Além disso, ao final da gravação, aparece um homem com a camisa “Não à vacina tóxica”.

Máscaras são recomendadas por autoridades sanitárias de todo o mundo como uma das formas de evitar a disseminação do novo coronavírus. Desde 9 de julho, o uso é obrigatório em vias públicas de Barcelona.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: