É falso que vídeo mostre tanques de guerra protegendo bancos na China

É falso que vídeo mostre tanques de guerra protegendo bancos na China

Boato tira de contexto gravação de um exercício militar na província de Shandong e não tem relação com protestos contra o congelamento de fundos financeiros

Victor Pinheiro

26 de julho de 2022 | 14h00

Circula no Telegram um vídeo que mostra vários tanques de guerra alinhados em uma avenida. As mensagens afirmam que os veículos militares estariam protegendo bancos em meio a protestos contra o congelamento de saques em instituições financeiras na província chinesa de Henan. Mas a gravação foi retirada de contexto e retrata, na verdade, um exercício militar em Shandong, a mais de 400 quilômetros de Henan, conforme apurações da Associated Press e da France 24 Observers.

Por meio da pesquisa reversa de imagens em buscadores, os sites conseguiram identificar que o prédio que aparece ao fundo do vídeo com uma iluminação amarela é um hotel na cidade de Rizhao, em Shandong. Fotos do edifício publicadas em plataformas de reserva de estadias apresentam elementos em comum com o cenário retratado no vídeo — por exemplo, as características dos letreiros iluminados e a posição das árvores. Isso permitiu aos veículos confirmarem que o vídeo foi gravado em frente ao hotel.

O France 24 ainda apurou com trabalhadores de um estabelecimento próximo ao edifício que houve um exercício militar na região no dia 17 de julho e cruzou a informação com um anúncio público da marinha chinesa. As imagens, portanto, não têm relação com os protestos na província de Henan.

Em abril, clientes de quatro bancos rurais da província foram impedidos de acessar suas contas bancárias. Desde então, os depositantes se organizam para pressionar autoridades a resolver o imbróglio. A princípio, as empresas justificaram o congelamento devido a uma atualização de sistema. Após três meses de investigação, o governo chinês acusa uma companhia de investimento privado de explorar ilegalmente depósitos dos bancos para sustentar operações financeiras, diz uma matéria do Estadão.

Foto do Hanting Hotel Rizhao Railway Station retirada de plataformas de reserva. Foto: Reprodução agoda.com

O boato viralizou dias após um episódio violento marcar as manifestações. Em 10 de julho, centenas de pessoas se reuniram  em frente a uma agência do banco central chinês em Zhengzhou, capital de Henan. Segundo matéria da BBC, os manifestantes foram abordados violentamente por um grupo de homens com camisas brancas que tentaram dispersar o ato. Fora de contexto, o vídeo pode sugerir que os tanques de guerra nas vias públicas representam uma escalada de um conflito social na China, o que é falso.

Uma única mensagem no Telegram, cuja legenda tira o vídeo de contexto, acumulou mais de 42 mil visualizações até esta segunda-feira, 26. No Facebook, um vídeo sobre o tema chegou a mais de 5 mil interações.

Tudo o que sabemos sobre:

China [Ásia]fake news [notícia falsa]

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.